1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Microsoft ataca ex-parceira SAP

Com a compra da dinamarquesa Navision, a Microsoft começa a disputar diretamente com o grupo alemão SAP o lucrativo mercado de software para empresas.

default

Sede da SAP em Walldorf, Alemanha

A Microsoft ofereceu US$ 1,2 bilhão pela Navision. Segundo informações do jornal Financial Times Deutschland, o contrato de fusão deverá ser assinado na próxima semana.

Na avaliação do jornal, com isso, a Microsoft passa definitivamente da posição de parceira para concorrente da SAP. Um porta-voz da Navision confirmou "as vantagens de uma transação estratégica", e as ações da empresa subiram até 25% nesta terça-feira (2).

A Microsoft e a SAP mantinham, até há pouco tempo, um acordo de parceria. Muitos clientes da SAP usam software de escritório e sistemas operacionais da Microsoft. Bill Gates, porém, monopolizou de tal forma esse segmento, que um crescimento acima de 10%, como nos anos passados, tornou-se improvável.

Dotnet - Por isso, ele procura novas fontes de renda através da estratégia "Dotnet", que inclui a venda de software para contabilidade e gerenciamento de clientes, produtos oferecidos pelos dinamarqueses. "A Navision é uma adversária temida pela SAP no segmento de pequenas e médias empresas", diz Helmuth Gümbel, analista da Strategy Partners.

Há um ano, Bill Gates já irritara a SAP com a compra da Great Plains (EUA) por US$ 1,1 bilhão. Se engolir a Navision, a Microsoft passará a dispor de um software já usado por 60 mil empresas e conquistará uma ampla rede de revenda de seus produtos.

A empresa dinamarquesa conta com 2300 revendedores em todo o mundo, dos quais 200 na Alemanha. Com um faturamento anual de € 200 milhões, a Navision é a quinta maior fornecedora de software para empresas na Europa. Ela detém uma fatia de 3% do mercado, o que é pouco comparado aos cerca de 30% da SAP.

Fusão - A SAP é líder mundial em software para e-business. Oferece 22 soluções específicas para as diferentes atividades econômicas, tem 10 milhões de usuários de 30 mil instalações e conta com mil parceiros e cerca de 27 mil funcionários em mais de 50 países.

Mas os dinamarqueses são fortes exatamente onde a SAP é fraca: no segmento de empresas com menos de mil funcionários. O grupo alemão fatura a maior parte de seu dinheiro com a venda de licenças para multinacionais, um segmento já bastante saturado com produtos da SAP ou de outras marcas, como Oracle e J.D. Edwards. O mercado de empresas menores oferece as melhores perspectivas de crescimento.

Segundo o Financial Times Deutschland, um problema para a Microsoft é que a Navision acaba de passar por uma fusão. Em novembro de 2000, engoliu sua concorrente dinamarquesa Damgaard. A integração dessas duas empresas ainda estaria longe de ser completada.