1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Michael Schumacher vence tumultuado GP da Austrália

A corrida de Melbourne começou com uma batida de Ralf Schumacher na Ferrari de Rubinho e terminou com a vitória do campeão de Fórmula 1, Michael Schumacher.

default

O Williams de Ralf Schumacher voando pelos ares no crash em Melbourne

O campeão Michael Schumacher ganhou pela terceira vez consecutiva o Grande Prêmio da Austrália, em Melbourne, numa corrida que começou de forma dramática com um crash espetacular, causado por seu irmão, Ralf Schumacher, da BMW-Williams.

Dos 22 carros, apenas 8 conseguiram chegar na meta. O tetracampeão Michael sagrou-se vitorioso pela 54ª vez num Grand Prix, marcando seus primeiros 10 pontos. Na nova temporada ele tentará igualar o recorde de Juan Manuel Fangio e tornar-se pentacampeão.

Schumacher estava no Ferrari modificado do ano passado e só deve estrear o novo no Brasil. Em segundo chegou Juan Pablo Montoya (BMW-Williams), em terceiro o finlandês Kimi Räikkönen, da McLarens-Mercedes.

Depois do vôo, Ralf prefere ir nadar com os tubarões

Os 127 mil espectadores no Albert Park ficaram atônitos ao ver a confusão que Ralf Schumacher causou, ao bater na traseira da Ferrari de Rubens Barrichello, antes da primeira curva. O BMW-Williams de Ralf voou por cima de Rubinho e mais sete carros acabaram sendo envolvidos no tumulto logo de saída.

"Eu tive realmente sorte, de não ter capotado e de haver bastante espaço para eu recobrar o controle do carro", comentou Ralf Schumacher. Depois, mais tranqüilo disse que se sentiu como "passageiro em um avião" e que agora podia ir "nadar com os tubarões na Austrália", que isso é menos perigoso do que ele viveu hoje na pista. Felizmente, nenhum dos pilotos envolvidos na colisão saiu ferido. Depois de ouvir Ralf e Rubinho, e analisar as imagens, os responsáveis consideraram a colisão um acidente, com o que não será preciso pagar multas.

Ralf culpa Rubinho

Ralf, que a imprensa alemã chama de "Shumi II", pôs a culpa em Barrichello. "Quando Rubens está na frente, não vê o que acontece do lado. Eu tentei ultrapassá-lo. Mas ele mudou três vezes de pista, me bloqueou e depois freou", disse Ralf, contando o acidente do seu ponto de vista. Rubinho defendeu-se dizendo que não pisou no freio cedo demais. "Pelo contrário, eu brequei mais tarde do que costumo fazer, pois temia que podia acontecer um acidente. O Ralf pisou no acelerador de tal forma que mal teria conseguido fazer a curva", retrucou.

Michael Schumacher não se sentiu muito à vontade para comentar os segundos decisivos antes do crash: "Eu estou numa situação difícil, afinal Rubens é meu colega de escuderia e Ralf, meu irmão. Porém, é um fato que Rubens dirigiu em zigue zague, quem está atrás tem de segui-lo, mas talvez Barrichello tenha trocado de pista demais. Mas na verdade, para que haja um acidente como esse, é preciso de dois pilotos", observou. A Sauber criticou a decisão de não interromper a corrida logo após a colisão.

Leia mais