1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

MetOp fornece precisão meteorológica sem precedentes

Novo satélite possibilita previsão precisa do tempo com até cinco dias de antecedência. Completando a órbita terrestre em apenas 100 minutos, envia dados sobre temperatura, umidade e monitora níveis de ozônio.

default

O MetOp em simulação gráfica por computador

Após numerosos adiamentos, acaba de ser marcado para 7 de outubro próximo o lançamento do primeiro satélite da série Eumetsat Polar Systems (EPS), o MetOp-A. Ele complementará a função dos satélites do tipo Meteosat e do modelo sucessor, o MSG, fornecendo dados meteorológicos globais até 2020. O programa conta com a colaboração do Centre d'Etudes Spatiales (CNES) e da agência norte-americana NOAA.

No total, a série contará com três estações siderais, cada qual com cinco anos de vida útil, a serem construídas pelo grupo europeu de viagens espaciais EADS Astrium. Uma parte considerável da encomenda, perfazendo 422 milhões de euros, coube às instalações da EADS Astrium em Friedrichshafen, à beira do Lago de Constança.

Tudo, menos milagres

"A previsão do tempo será mais exata e mais a longo prazo", afirma Uwe Minne, diretor do Departamento de Observação Terrestre e Ciência da Astrium em Friedrichshafen. "Até agora os meteorologistas podiam prever o tempo dos próximos três dias com bastante exatidão. No futuro serão cinco dias".

Uwe Kirsche, porta-voz do Serviço Alemão de Meteorologia de Frankfurt do Meno, promete: "A quota de acertos nas previsões será bem mais alta". Entretanto não é possível fazer milagres. Em circunstâncias de turbulência, quando a chuva for incerta, reduz-se necessariamente o grau de certeza a longo prazo.

Esse novo padrão é possível graças aos dados muito mais precisos e abrangentes que o Meteorological Operational Polar Satellite fornecerá. A chave de tal precisão está na órbita percorrida pelo satélite, totalmente diversa da de seus antecessores.

A volta ao mundo em 100 minutos

Os satélites Meteosat, que fornecem todas as noites as imagens meteorológicas para a televisão, sobrevoam o Equador a 36 mil quilômetros de altura, uma vez a cada 24 horas. Devido ao movimento de rotação terrestre, eles não alteram seu ponto de referência em relação ao planeta. "Sobre a Europa, por exemplo, a perspectiva deles é oblíqua", esclarece Minne.

Karte der Wassertemperatur-Veränderung im Pazifischen Ozean beim Hurrikan El Nino 1997 klimaveränderung Erderwärmung

Mapa mostrando as variações de temperatura no Oceano Pacífico, durante passagem do El Niño em 1997

Em contrapartida, o MetOp sobrevoa a Terra do Pólo Norte ao Pólo Sul, a cerca de 837 quilômetros de altura, completando o círculo em apenas 100 minutos. O novo satélite, a ser substituído por dois outros exemplares em 2010 e 2015, respectivamente, fornece ainda uma abundância de outros dados.

Assim, ele mede a temperatura e umidade da atmosfera, o vento ou a temperatura dos mares, além de monitorar os níveis de ozônio. "Quanto mais parâmetros desses dispuser o meteorologista, tanto melhores serão suas previsões", justifica Uwe Minne.

Previsão exata vale dinheiro

Em nossos tempos, prognósticos meteorológicos confiáveis não são apenas um mero luxo, mas sim dinheiro vivo. Não é só o dono da cervejaria ao ar livre que fica satisfeito de haver planejado certo.

"Se os operadores de usinas elétricas sabem que nos próximos dias fará mais frio, eles podem se preparar para aumentar a produção de energia", exemplifica o diretor da Astrium Friedrichshafen.

A cada órbita, o MetOp transmite os dados de medição à estação terrestre. Estes são então enviados aos serviços nacionais de meteorologia dos 18 países-membros da Eumetsat (Agência Européia de Meteorologia por Satélites), a partir de sua central em Darmstadt.

Como um inseto gigante

O satélite de 4300 quilos lembra um caixote gigante, do qual despontam antenas de inseto. Os técnicos e engenheiros do Lago de Constança foram responsáveis pelos instrumentos de bordo, transportados em abril passado até Toulouse, na França, onde foram conectados com a plataforma.

Erection of the Soyuz rocket at the launch tower

MetOp pronto para lançamento, a bordo do foguete Soyuz

O lançamento do MetOp, a bordo de um foguete Soyuz, se realizará a partir do Baikonur Cosmodrome, no Cazaquistão. Entre o final de junho e julho passados, o lançamento fora adiado cerca de cinco vezes, por motivos técnicos.A EADS Astrium é a principal especialista da Europa em sistemas de satélites. Suas atividades cobrem todo tipo de telecomunicações civis e militares, assim como observação terrestre e programas de ciência e navegação. Ela é subsidiária da EADS Space, que possui 11 mil funcionários na França, Alemanha, Reino Unido e Espanha. Em 2005, seu faturamento foi de 2,7 bilhões de euros.

Leia mais