Merkel vê menos chances de Polônia vetar pacote climático da UE | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 09.12.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Merkel vê menos chances de Polônia vetar pacote climático da UE

Após reunião com premiê polonês, Merkel diz ver menos chances de veto da Polônia a pacote da UE. Ambientalistas protestam contra Alemanha e Polônia, acusadas de buscarem regras especiais a setores de seu interesse.

default

Tusk recebeu Merkel em Varsóvia

"Do meu ponto de vista, a possibilidade de veto da Polônia ao pacote climático da UE diminuiu", disse a chanceler federal alemã, Angela Merkel, nesta terça-feira (9/12), após o encontro de um dia com o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, em Varsóvia.

Ambos os países estariam "no bom caminho". Segundo Tusk, o veto de seu país seria uma "dramática última solução". Merkel e Tusk manifestaram otimismo com cautela sobre as chances de compromisso na cúpula das próximas quinta e sexta-feira em Bruxelas.

Encontro regulares interrompidos por quatro anos

Além dos chefes de governo, o encontro na capital polonesa teve a participação de uma série de ministros, entre os quais os de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier Radoslaw Sikorski. Foram as primeiras consultas bilaterais entre os dois países em quatro anos. A interrupção ocorreu durante o governo do nacionalista conservador Jaroslaw Kaczynski.

Donald Tusk declarou ter sentido em Merkel compreensão à reivindicação de maior incentivo financeiro aos países com muitas usinas a carvão. A Polônia lidera o grupo de membros do leste da Europa que colocaram reservas ao pacote de meio ambiente, utilizando como argumento a crise financeira e o alto custo que esta teria para suas economias, fortemente dependentes do carvão, o combustível fóssil mais poluente.

Protestos diante da sede do governo

Tusk mostrou-se confiante que na cúpula desta semana em Bruxelas serão levadas em conta as peculiaridades de cada Estado-membro no momento de elaborar seu plano para o meio ambiente. Por sua vez, a chanceler alemã, que foi ministra do Meio Ambiente no governo Kohl, ameaçou bloquear o acordo climático se ele puser em perigo os postos de trabalho na Alemanha.

Cerca de 200 manifestantes protestaram nesta terça-feira diante da sede do governo polonês contra as tentativas da Alemanha e da Polônia de criar cláusulas especiais no pacote climático para determinados setores da economia.

A delegação alemã também foi acompanhada pelo ministro alemão do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, que prosseguiu viagem à polonesa Poznan para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Leia mais