Merkel rebate crítica do governo Trump sobre euro | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 31.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Merkel rebate crítica do governo Trump sobre euro

Chanceler federal alemã responde a comentário de diretor do Conselho Nacional do Comércio da Casa Branca. Economista afirmou que moeda desvalorizada beneficia a Alemanha em relação aos EUA e a parceiros.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, negou nesta terça-feira (31/01) a acusação de um assessor do governo do presidente americano, Donald Trump, de que a Alemanha tem usado um euro desvalorizado para obter vantagens sobre os Estados Unidos e outros países da zona do euro.

"A Alemanha é um país que sempre defendeu que o Banco Central Europeu [BCE] persiga políticas independentes, assim como o Bundesbank [Banco Central alemão] fez antes de o euro existir", afirmou Merkel.

Merkel garantiu que o governo alemão não vai influenciar o comportamento do BCE. "E como resultado eu não posso e não quero mudar a situação como ela está", acrescentou. O Ministério alemão das Finanças se recusou a comentar as declarações.

Em entrevista ao Financial Times, o economista e diretor do recém-formado Conselho Nacional do Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, disse que o euro é como um "marco alemão [antiga moeda] implícito", que "grosseiramente" subvalorizado deu uma vantagem competitiva à Alemanha em relação a seus principais parceiros.

Navarro também afirmou que os planos de negociação de um acordo comercial entre os EUA e a UE – o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP) – estão mortos, enfatizando que a gestão de Trump vai buscar acordos bilaterais que favoreçam os EUA.

KG/rtr/afp

Leia mais