Merkel muda coordenação da crise dos refugiados | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 06.10.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Merkel muda coordenação da crise dos refugiados

Chanceler passa para seu chefe de gabinete a coordenação política da crise. Imprensa fala em puxão de orelhas no ministro do Interior, Thomas de Maizière, atual responsável pela gestão.

default

Peter Altmaier passará a ser o responsável pela gestão política da crise

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, decidiu transferir para a chancelaria federal a coordenação política da crise dos refugiados, noticiou nesta terça-feira (06/10) o site Spiegel Online.

Com a decisão, o chefe de gabinete de Merkel, Peter Altmaier, passará a ser o responsável pela gestão política da crise. O atual responsável, o ministro do Interior, Thomas de Maizière, deverá se ocupar da gestão operacional.

A reestruturação mostra que a Alemanha se prepara para uma crise longa e é também uma resposta aos constantes atritos entre os ministros e a própria chanceler por causa da questão dos refugiados.

Nas últimas semanas, Merkel e De Maizière externaram várias vezes posições diferentes sobre a crise. Enquanto a chanceler se recusava a falar sobre os limites do que a Alemanha pode fazer pelos refugiados, o ministro dizia que o país não tem como atender a um número tão elevado de requerentes de asilo como o atual.

Representantes do governo alemão disseram que a decisão não é um puxão de orelhas em De Maizière, como afirmou o Spiegel Online, mas que a intenção é aliviar a carga de trabalho do ministro do Interior e ao mesmo tempo fortalecer o ministério.

O governo alemão não comentou as informações do Spiegel Online e declarou que nesta quarta-feira haverá uma reunião para debater um "conceito para a coordenação da questão dos refugiados".

Segundo o site, o novo conceito prevê uma clara divisão de tarefas entre os ministérios, sob a coordenação geral do chefe de gabinete de Merkel. O Ministério do Interior, por exemplo, vai se ocupar de questões legais, da gestão dos abrigos, da segurança e da integração dos refugiados.

O Ministério das Finanças cuidará do levantamento de recursos para a gestão da crise. O Ministério do Trabalho deverá apresentar novas propostas para a integração dos refugiados no mercado de trabalho. Já o Ministério do Exterior tem como tarefa combater as causas do fluxo recorde de refugiados.

AS/dpa/afp/rtr

Leia mais