1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Merkel e Modi abrem Feira de Hannover

Durante passeio inaugural pela maior feira industrial do mundo, chanceler federal alemã e primeiro-ministro indiano defendem ampliação das relações comerciais. Índia é o país homenageado da edição deste ano.

default

Com o slogan Make in India, governo indiano pretende incentivar investimento estrangeiro

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, abriram nesta segunda-feira (13/04) a Feira de Hannover. Ambos realizaram o tradicional tour inaugural pelos galpões do complexo e visitaram alguns dos 6.500 expositores de 70 países. A Feira de Hannover é a maior feira industrial do mundo e, nesta edição, tem a Índia como país homenageado.

Com o lema "Indústria integrada – una-se à rede", a feira foca na chamada Indústria 4.0, um conceito de fábrica do futuro, onde as máquinas estarão totalmente interligadas em rede, permitindo o acompanhamento dos processos de produção e a customização dos produtos. Os organizadores aguardam a presença de 217 mil visitantes de todo o mundo.

Na abertura, Merkel discursou sobre a retomada das estagnadas negociações sobre um acordo de livre comércio entre a União Europeia (UE) e a Índia. Com aproximadamente 400 expositores, a Índia é o país homenageado da atual edição da Feira de Hannover. Merkel defendeu especialmente uma expansão do comércio bilateral, que contabilizou cerca de 16 bilhões de euros em 2014. "O comércio entre Alemanha e Índia pode ser melhorado, embora a Alemanha já seja o maior parceiro comercial europeu da Índia", disse a chanceler federal.

Modi, por outro lado, pleiteou investimentos alemães e prometeu a realização de amplas reformas tributária e federalista. Além disso, a Índia pretende afrouxar as regras para o investimento estrangeiro, permitindo a plena propriedade de empresas localizadas no país. A abertura ao capital estrangeiro se daria nos setores de seguros, indústria de defesa e ferroviária e na construção. Modi também anunciou uma enorme expansão da infraestrutura, considerada o calcanhar de Aquiles da economia indiana.

Modi também promoveu a campanha Make in India (Produza na Índia, em tradução livre), lançada em setembro e que visa incentivar empresas estrangeiras a fabricar produtos na Índia. A campanha identificou 25 setores-chave, incluindo o automotivo, de produtos farmacêuticos, turismo e tecnologia da informação, como aqueles com maior potencial de crescimento.

"Estamos satisfeitos em ver que sua economia está seguindo o caminho das reformas", disse Merkel ao premiê indiano. A chanceler federal, no entanto, defendeu ainda a retomada das conversações sobre um acordo de livre comércio, congeladas desde 2013. O presidente da Associação Alemã de Engenharia (VDMA, sigla em alemão), Reinhold Festge, concordou e saudou a iniciativa.

Na terça-feira, Modi será recepcionado por Merkel com honrarias militares em Berlim. O líder indiano também vai se encontrar com o ministro alemão da Economia, Sigmar Gabriel, e com o ministro do Exterior, Frank-Walter Steinmeier.

PV/dpa/rtr

Leia mais