1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Merkel e Hollande defendem permanência da Grécia na zona do euro

Presidente francês foi recebido pela chanceler federal alemã em Berlim. Líderes reconhecem a importância da parceria entre os dois países e manifestam disposição em continuar ajudando economia grega.

German Chancellor Angela Merkel and French President Francois Hollande review the guard of honour at the Chancellery in Berlin, May 15, 2012. Hollande called for a European pact for growth to balance out German-driven austerity measures in his inaugural address on Tuesday, hours before taking his challenge to Chancellor Angela Merkel in Berlin. Sworn in with all the pomp of the French Republic, Hollande won support from Germany's opposition Social Democrats (SPD), who vowed to use their parliamentary blocking power to delay ratifying a European budget discipline treaty until Merkel accepts accompanying measures to boost growth and jobs. REUTERS/Thomas Peter (GERMANY - Tags: POLITICS)

Treffen Merkel Hollande

Logo depois de tomar posse nesta terça-feira (15/05) e nomear Jean-Marc Ayrault como primeiro-ministro, o novo presidente francês, François Hollande, embarcou para a Alemanha, onde foi recebido com honras militares pela chanceler federal alemã, Angela Merkel.

Antes de chegar a Berlim, no entanto, Hollande enfrentou contratempos. O avião em que o presidente voava para a Alemanha foi atingido por um raio durante uma tempestade, e a tripulação decidiu voltar a Paris para trocar de aeronave.

Crise do euro

Sobre a crítica situação da Grécia, a chefe de governo alemã disse que ela e Hollande desejam que o país permaneça na zona do euro e que fariam de tudo para ajudar os gregos em sua recuperação financeira. O presidente francês reiterou que a Grécia deve manter suas obrigações e que a Europa está pronta para agir no sentido de estimular o crescimento econômico.

Hollande havia reiterado, antes do encontro com Merkel, a intenção de propor um novo pacto aos líderes europeus, que "combine a necessária redução da dívida pública com o indispensável estímulo da economia". "Para superar a crise, a Europa precisa de projetos, de solidariedade, de crescimento", disse. Merkel já havia se pronunciado, porém, contra a renegociação do pacto fiscal da União Europeia (UE).

No entanto, a líder alemã destacou na noite desta terça-feira que a França e a Alemanha reconhecem sua responsabilidade conjunta. Ambas precisam apresentar juntas propostas para estimular o crescimento econômico do bloco na cúpula da UE do próximo mês, disse a chanceler federal. "Será muito importante que a Alemanha e a França apresentem suas ideias juntas e trabalhem lado a lado para prepará-las."

Socialistas no poder

Hollande, 57 anos, assumiu o cargo uma semana e meia depois de vencer o segundo turno das eleições presidenciais francesas. Há 17 anos, a França não tinha um presidente socialista, desde que François Mitterrand governou o país entre 1981 e 1995.

Ayrault, designado por Hollande para primeiro-ministro, liderou o Partido Socialista (PS) no parlamento durante 15 anos. Considerado de posição moderada, o ex-professor de alemão, de 62 anos, foi preferido à líder do partido, Martine Aubry, considerada mais orientada à esquerda.

LPF/dpa/afp/rtr
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais