1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Merkel condena xenofobia na Saxônia

Chanceler federal alemã classifica recente ato contra ônibus de refugiados em Clausnitz de "profundamente vergonhoso". Ministro da Justiça convoca políticos e sociedade a se posicionarem contra o racismo.

default

Merkel manifestou-se contra incidentes xenófobos por meio de seu porta-voz

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, condenou nesta segunda-feira (22/02) o recente incidente xenófobo ocorrido em Clausnitz, na Saxônia. Na última quinta-feira, uma multidão enfurecida bloqueou a

passagem de um ônibus com migrantes

diante de um abrigo de refugiados na cidade, próxima à fronteira da Alemanha com a República Tcheca.

O que ocorreu em Clausnitz "é profundamente vergonhoso", disse o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert. "Quão frio, quão covarde alguém precisa ser para obstruir a passagem de um ônibus e gritar e amedrontar os refugiados que estavam dentro dele, incluindo muitas crianças e mulheres."

Seibert, no entanto, refutou julgamentos precipitados sobre a Saxônia, estado que pertencia à antiga Alemanha Oriental. "É bom que haja tantas pessoas na Alemanha e principalmente na região onde isso ocorreu que mostram todos os dias que o nosso país é diferente [disso]", disse.

Em meio ao debate sobre a política de refugiados na Alemanha, a população estaria ciente "de que se trata sobretudo de pessoas necessitadas, que tratamos com civilidade e compaixão", de acordo com o porta-voz. "Quem aprova atitudes como a de Clausnitz precisa receber uma resposta bastante clara", prosseguiu.

Cerca de cem pessoas bloquearam o ônibus com refugiados na cidade na última quinta-feira. A polícia local é acusada de tratar os migrantes de maneira rude.

Na noite de domingo, em Bautzen, também na Saxônia, um grupo de espectadores teria aplaudido e celebrado o incêndio de um hotel que seria usado como abrigo de refugiados.

Em resposta aos incidentes na Saxônia, o ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, pediu que a maioria dos cidadãos não fique em silêncio. "Precisamos que se pronunciem decididamente, para que o nosso debate social não seja envenenado por incitamento à violência e ódio", disse Maas, acrescentando que a sociedade não pode esperar até que ocorra a primeira morte.

Ele reiterou seu pedido para que políticos e sociedade se posicionem publicamente contra o racismo e a xenofobia. "Para aqueles que incendeiam abrigos de refugiados ou aplaudem as chamas com prazer indisfarçável não existe justificativa ou desculpa", concluiu o ministro, classificando os atos como grosseiros e primitivos.

PV/afp/dpa/epd

Leia mais