1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Mercedes Benz melhora transporte público em Havana

Os transportes coletivos melhoraram bastante em Cuba, com os 500 ônibus urbanos que a Mercedes Benz montou em Havana nos últimos anos com know-how brasileiro e alemão.

A Mercedes Benz tem muito a ver com o fato de a população de Havana conseguir chegar pontualmente ao trabalho. Os ônibus que ela monta perto da capital cubana, com know-how da Alemanha e do Brasil, tiveram papel fundamental para a melhoria do sistema de transportes coletivos.

Mesmo assim, o sistema ainda apresenta graves falhas na ilha que é um dos últimos redutos do socialismo no mundo. Ao todo, a montadora alemã já colocou em circulação 500 ônibus urbanos em Havana, desde 1998, além de 150 ônibus rodoviários para turistas.

No final da década de 80, ainda circulavam cerca de 2 mil ônibus pelas ruas da cidade colonial que, em muitos aspectos, lembra Salvador da Bahia. Com a derrocada da União Soviética e do bloco comunista, esse parque de veículos ficou reduzido a 600 unidades. Em plena crise cubana e faltando as peças de reposição que já não eram fabricadas, os ônibus remanescentes se moviam graças à capacidade de improvisação dos cubanos, nos anos em que chegar ao trabalho, ou a qualquer lugar, era uma aventura diária em Havana.

Subsidiária camuflada - "A cooperação funciona bem em Cuba", diz Konrad Hieber, gerente da MCV Comercial, que a rigor não é uma subsidiária da Mercedes Benz nem tem nada a ver juridicamente com a DaimlerChrysler. Seus proprietários são cidadãos cubanos e egípcios. Toda essa discrição nos negócios com a ilha de Fidel Castro tem uma razão de ser: não aborrecer os Estados Unidos, que já afrouxaram mas ainda mantêm o bloqueio econômico a Cuba e ameaçam com sanções as empresas que ousarem furá-lo.

A representação secreta da marca da estrela em Havana está situada numa rua tranqüila no bairro Miramar. Em seu pátio, há vários veículos prontos para entrega. Os negócios da Daimler em Cuba começaram em 1913, com a J.F. Berndes & Co, New Queens's Road, que vendia motores para a agricultura, principalmente para os engenhos de cana-de-açúcar.

Motores - O reinício dos negócios data de 1995 e deu-se também com motores para colheitadeiras. A representação cubana também se encarrega hoje de motores diesel fabricados sob licença e utilitários de vários tipos. Cuba tem grande interesse em parcerias e em atrair investimentos estrangeiros. A cooperação com empresas alemãs é bem vista, garantiu Fidel Castro ao ministro alemão da Economia, Werner Müller, durante sua visita, este ano, a Havana.