1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Mercado piora projeções para inflação e PIB

Analistas esperam uma retração de 0,66% na economia brasileira neste ano, pouco abaixo dos 0,58% negativos previstos anteriormente. Preços deverão subir 7,77%, acima do teto estabelecido pelo governo.

Investidores e analistas do mercado financeiro reduziram suas previsões sobre a economia do Brasil para 2015 e voltaram a elevar a expectativa de aumento da inflação. Divulgado nesta segunda-feira (09/03), o boletim Focus – pesquisa realizada junto a cerca de cem instituições financeiras e divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC) – prevê que o PIB neste ano deverá ter retração de 0,66% e que a inflação fechará o ano em 7,77%.

Os índices mostram uma leve queda com relação às estimativas de retração da economia para este ano, que eram de 0,58% na semana anterior, e de ligeiro aumento da inflação anual, estimada em 7,47%. Para economistas, os preços administrados, ou seja, aqueles regulados pelo governo, como gasolina e energia, subirão 11,18% até dezembro. Anteriormente, a estimativa era de 11%.

O PIB de 2014 só será divulgado pelo IBGE no dia 27 de março, mas já se espera que ele apresente um recuo de 0,15% – que deverá ser o primeiro índice negativo da maior economia da América Latina desde 2009.

Na semana passada, o IBGE divulgou que a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 7,7% no acumulado de 12 meses. Considerando apenas o recorte mensal, a alta da inflação foi 1,22% em fevereiro e de 1,24% em janeiro deste ano. A meta de inflação estipulada pelo governo para 2015 é de 4,5%, com teto de 6,5%.

Dólar perto de 3 reais

Os especialistas mantiveram em 13% a expectativa para fechamento da taxa básica de juros (Selic) para 2015. Isso significa que o mercado espera que o Comitê de Política Monetária (Copom) elevará a taxa mais uma vez neste ano, em 0,25 ponto percentual. Na semana passada, o Copom subiu a Selic em 0,5 ponto percentual, chegando a 12,75% ao ano. O patamar de elevação confirmou as previsões de analistas de mercado.

Já a projeção sobre o câmbio passou de 2,91 reais por 1 dólar para 2,95. A moeda americana encerrou a semana passada cotada a 3,05 reais.

MSB/rtr/efe/abr

Leia mais