1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Mercado de energia solar em franca expansão na Alemanha

Especialistas preconizam um verdadeiro boom do setor, que deverá até 2010 movimentar oito bilhões de euros e criar 100 mil empregos.

default

Frango sendo cozido com uso de energia solar

"A Alemanha tem a possibilidade de se tornar o maior fornecedor de unidades de produção de energia solar do mundo", afirma Carsten Körnig, presidente da União dos Produtores de Energia Solar. O setor, segundo Körnig, foi o responsável nos últimos anos pela criação de 18 mil empregos na Alemanha, com tendência crescente. "Principalmente empresas de médio porte foram beneficiadas pelo boom solar", comenta Körnig.

Indústria – Apesar das derrotas da delegação alemã na Conferência do Desenvolvimento Sustentável, em Johanesburgo, o uso de energias renováveis, entre elas a solar, tende a crescer em todo o mundo. "Estamos a caminho de passar de um nicho empresarial para uma verdadeira indústria", acredita Körnig.

A energia solar pode ser utilizada através de dois procedimentos básicos: térmico ou fotovoltaico. O primeiro, aproveita o calor do sol como forma de aquecimento da água ou, por exemplo, na secagem de produtos agropecuários. O segundo processo converte a energia luminosa diretamente em energia elétrica.

Hoje, 460 mil casas alemãs e mais de 600 mil piscinas públicas do país usam a energia solar como forma de aquecimento, movimentando apenas no último ano 650 milhões de euros. Já empresários que comercializam unidades de produção, que convertem a energia solar em energia elétrica, foram responsáveis por um volume de negócios em torno dos 500 milhões de euros em 2001. Segundo especialistas, o uso da energia solar trouxe uma redução das emissões de dióxido de carbono de mais de 660 mil toneladas.

Maior demanda – Em conseqüência das recentes catástrofes naturais, a demanda de unidades de produção de energia solar tem aumentado significativamente. Na Alemanha, o setor vive dias de perspectivas ensolaradas. "O mercado da energia solar térmica cresceu 157% e o uso fotovoltaico explodiu em 574% nos últimos dois anos. Os dois setores registraram nesse espaço de tempo um volume de negócios de mais de 1,15 bilhão de euros", observa Körnig.

Governo verde – Para o empresariado, o boom do setor foi favorecido em muito pela política do governo verde-social-democrata, que vem estimulando o uso da energia solar no país. Medidas como "a lei das energias renováveis" ou o "programa dos 100 mil tetos" tornaram investimentos em unidades de energia solar lucrativos também para o cidadão comum.

A conseqüência foi um sensível aumento do número de alemães que tomam banho e têm um sistema de calefação com a energia do sol. Além disso, cerca de 60 mil tetos de casas no país estão munidos de células capazes de converter a energia do sol em energia elétrica. Trata-se, no entanto, apenas de um pequeno passo em direção à "era solar", como ressaltam os especialistas, pois o setor ainda abocanha a mínima parcela de 0,03% do mercado energético na Alemanha.

Exportações – Isso para não dizer das exportações, que ainda dão seus primeiros passos. "Nós esperamos que o governo trabalhe realmente de forma intensa, para que as chances de exportação dos empresários do setor possam crescer nos próximos anos", alerta Körnig.

O diretor da Federação Alemã de Energia Solar, Gerhard Stryi-Hipp, vê com otimismo o futuro dos fornecedores de unidades geradoras de energia solar. "Até 2010, o setor estará apto a concorrer com as formas de energia convencionais. Teremos então um volume de negócios em torno de oito bilhões de euros, além de termos criado 100 mil novos empregos", acredita Stryi-Hipp.