1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

McDonald's anuncia reestruturação para reverter queda nas vendas

Maior rede de fast food do mundo divulga medidas que visam poupar 300 milhões de dólares e reconquistar clientes. Entre elas estão estruturas mais enxutas, foco em mercados estratégicos e alimentos mais saudáveis.

O novo presidente da rede McDonald's, Steve Easterbrook, anunciou nesta segunda-feira (04/05) os passos iniciais de uma grande reforma dentro da cadeia de fast food.

Em comunicado

, ele disse reduzirá custos em uma tentativa de transformar a cadeia numa "companhia de hambúrgueres moderna e progressista".

A partir de primeiro de julho, o gigante dos hambúrgueres operará sob uma nova estrutura organizacional, dividindo os negócios em quatro novos segmentos: o mercado dos Estados Unidos, "os mercados líderes internacionais", como a Alemanha e o Reino Unido, os "mercados de alto crescimento", tais como a China e a Rússia, e os mercados fundamentais com "o potencial em operar sob um modelo amplo de franquias", disse o comunicado do McDonald's.

"Não vou fugir da necessidade urgente de reorganizar os negócios", disse Easterbrook, que assumiu o cargo em março, depois de um dos anos mais decepcionantes da rede. Ele afirmou ainda que o McDonald's, com seus mais de 36 mil restaurantes em todo o mundo, teve "escala e alcance como nenhuma outra empresa", mas admitiu que a vasta burocracia é um empecilho para o crescimento.

"Nos últimos cinco anos, o mundo mudou mais rápido fora do que dentro dos negócios. Nós não estamos no nosso jogo", concluiu.

Redução de antibióticos e aumento de salários

Mas as estruturas empresariais não explicam totalmente o fraco desempenho da empresa nos últimos anos. Mudanças de gostos, escândalos relacionados à qualidade dos alimentos e a intensificação da concorrência tomaram uma parcela dos lucros da cadeia de fast food, culminando numa queda contundente de 33% no último trimestre.

Em um esforço para reverter a situação, Easterbrook anunciou uma série de mudanças, incluindo o cardápio de café da manhã durante todo o dia em alguns restaurantes nos EUA, além da redução do uso de antibióticos nos alimentos e o aumento de salários de funcionários. Na tentativa de mudar sua imagem de estabelecimento que serve comida gordurosa e de baixa qualidade, a empresa lançou na Alemanha no mês passado o seu primeiro restaurante com serviço de mesa.

Meta: poupar anualmente 300 milhões de dólares

Easterbrook também disse o número de restaurantes que devem ser fechados neste ano será dobrado, chegando a 700 estabelecimentos em todo o mundo. Além disso, o McDonald's venderá 3.500 restaurantes a franqueados até 2018, elevando assim o nível de propriedade global das franquias de 81% para 91%. Ele também prometeu acabar com a gestão "complicada" e examinar a empresa à procura por ineficiências. Espera-se que estas decisões resultem numa poupança líquida anual de cerca de 300 milhões de dólares.

"Quando olhamos para moldar o futuro do McDonald's como uma empresa de hambúrgueres moderna e progressista, temos três prioridades: o motor do crescimento operacional, reconquistar o entusiasmo pela marca e desbloquear o valor financeiro", explicou Easterbrook.

O anúncio estratégico veio menos de três semanas antes da reunião anual dos acionistas da empresa. E apesar de Easterbrook ter prometido que o McDonald's desembolsará entre 8 e 9 bilhões de dólares aos acionistas em 2015, o mercado se manteve cético: nesta segunda-feira, as ações do McDonald's caíram 0,6% e alcançaram o valor de 97,24 dólares na Bolsa de Valores de Nova York.

PV/ap/afp/rtr

Leia mais

Links externos