1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Material secreto sobre Kohl sem impacto

As atas do serviço secreto da antiga Alemanha Oriental sobre Helmut Kohl foram divulgadas em parte. As mil páginas liberadas pela Justiça para publicação não contêm nada de desconhecido sobre o ex-chanceler federal.

default

Atas Kohl: grande parte ainda sob sigilo

A Stasi – serviço secreto da antiga Alemanha Oriental – reuniu abrangentes informações sobre o ex-chanceler federal Helmut Kohl. Após uma longa controvérsia jurídica em torno da divulgação dos documentos secretos acerca de Kohl, os órgãos responsáveis pela inspeção das atividades da Stasi tornaram público este material na quinta-feira (24/03).

Dados pessoais rasurados

No entanto, nada de sensacional foi revelado sobre o chefe de governo da reunificação, nem sequer dados novos sobre o envolvimento de Kohl nos escândalos de doações ilegais à União Democrata Cristã. Isso porque a Justiça tinha imposto limites rigorosos quanto aos documentos a serem divulgados, proibindo a publicação de qualquer informação pessoal adquirida através de escuta. Todas as informações de caráter privado foram rasuradas nas atas.

Helmut Kohl – já espionado pelas autoridades da Alemanha socialista antes mesmo do início de seu mandato como chanceler federal (de 1982 a 1998) – foi avaliado pela Stasi como político conservador. "Sua postura em relação à política do Leste é basicamente anticomunista": este já era o veredicto de um dossiê do Ministério de Segurança Estatal (Stasi) datado de 1982.

Falta de retórica e presença inexpressiva

"Kohl não atura contradições. Ele não tem retórica, de modo que sua atuação e suas aparições públicas são inexpressivas", avalia a Stasi. Nas atas, que contêm recortes de jornais ocidentais sobre Kohl e sua política, o serviço secreto oriental também dá seu parecer sobre a declaração de governo de Kohl de 1987: "De uma forma geral, a declaração é inexpressiva e, em vez de comunicar decisões, se envereda em digressões nebulosas". As atas Kohl eram de conhecimento de diversos departamentos do serviço secreto da República Democrática Alemã (RDA).

Os documentos de data mais recente arquivados sobre Kohl são instruções da Stasi posteriores à queda do Muro de Berlim, por ocasião da visita do político à Alemanha Oriental. As atas também contêm a transcrição das conversas entre Kohl e o chefe de Estado da RDA, Erich Honecker, durante a visita do último a Bonn.

"Quem se interessar por Kohl vai se decepcionar"

Os documentos que puderam ser divulgados dão mais informação sobre a forma de trabalho da Stasi do que de âmbitos desconhecidos da vida de Kohl. Para Marianne Birthler, responsável pela avaliação das atas da Stasi sobre Kohl, o mais interessante é notar como o serviço secreto da Alemanha Oriental se interessava pelo Ocidente: "Quem tiver interesse pela pessoa Kohl e sua atuação como chanceler federal, vai se decepcionar".

De acordo com Birthler, o material recém-divulgado representa apenas uma parte dos documentos da Stasi sobre Kohl. No entanto, alguns pedidos de acesso às atas ainda deverão ser avaliados pela Justiça. Quanto a possíveis atividades ilegais do ex-chanceler federal, Birthler declarou, sem hesitação: "Mesmo se houvéssemos encontrado algo neste sentido, eu não diria".

Um sétimo da verdade sobre Kohl

De acordo com um comunicado do escritório de Kohl em Berlim, as atas da Stasi sobre ele compreendem sete mil páginas ao todo. Das 1071 páginas divulgadas, 673 contêm informações acessíveis via outras fontes, como declarações de governo ou entrevistas.

Stasi-Akten über Kohl werden herausgegeben

Helmut Kohl

Após uma controvérsia jurídica de anos, na última quarta-feira Kohl cedeu em sua exigência de que não se divulgasse nenhum documento de suas atas. Ele próprio só teve acesso aos documentos no início deste ano. A concessão de Kohl coincide com a decisão da Justiça sobre a limitação das informações a serem divulgadas sobre seu passado político.

Leia mais