1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Materazzi nega ter chamado Zidane de terrorista

O zagueiro italiano Marco Materazzi admitiu ter insultado o capitão francês, Zinedine Zidane, na final da Copa. O campeão do mundo disse que Zidane foi "super arrogante" durante o jogo.

default

Materazzi, ao centro, disse que Zidane estava arrogante na partida

Após troca de insultos na partida final da Copa do Mundo, domingo (09/07), em Berlim, o francês de 34 anos acertou uma cabeçada no peito de Materazzi, derrubando-o ao chão, durante o segundo tempo da prorrogação. "Eu segurei a camisa dele por apenas alguns segundos, ele se virou para mim e disse, olhando super arrogante, de cima para baixo: 'se você realmente quer minha camisa, pode tê-la mais tarde'. É verdade, eu retruquei com um insulto", declarou o italiano ao jornal Gazzeta deelo Sport.

Perguntado se teria ofendido a irmã ou a mãe de Zidane, Materazzi disse que foi um "insulto do tipo que você ouve milhares de vezes". "Eu não falei nada sobre a mãe dele; para mim mãe é algo sagrado", afirmou. Outro jornal italiano, o Corriere della Sera, lembrou que o zagueiro perdeu a mãe quando tinha 14 anos, então ele com certeza não teria ofendido a mãe de Zidane.

WM06 Frankreich - Italien Zineidine Zidane geht am Pokal vorbei nachdem er für ein grobes Foul die Rote Karte bekommen hatte

Zidane deve se pronunciar nos próximos dias

Além disso, há quem diga que Materazzi teria chamado Zidane de terrorista e sugerido que ele nem poderia jogar pela França – ambos insultos baseados na ascendência argelina de Zidane. "Eu certamente não o chamei de terrorista; eu sou ignorante, eu nem sei o que é um terrorista islâmico; meu único terrorista é ela", disse apontando para sua filha de 10 meses que dormia ao seu lado no avião, durante a viagem de retorno.

Leitura labial

De acordo com o programa de TV brasileiro Fantástico, da Rede Globo, Materazzi teria chamado a irmã de Zidane de prostituta. O quadro do programa é conhecido por fazer leitura labial. Especialistas nisso teriam afirmado que o insulto foi dirigido à irmã do jogador e teria sido dito duas vezes, seguido ainda de um palavrão a Zidane.

O jornal britânico The Times também contratou uma especialista em leitura labial. Pelo diário, Zidane teria sido chamado de "filho de uma prostituta terrorista". Jessica Rees é conhecida por sua habilidade em ler lábios e seguidamente é consultada em julgamentos em tribunais. Ela estudou a fita da partida e chegou a essa conclusão.

"Depois de um estudo exaustivo do vídeo, e com a ajuda de um tradutor italiano, Rees afirma que Materazzi chamou Zidane de 'filho de uma prostituta terrorista' antes de acrescentar o 'então se f***'", publica o jornal.

Zidane fala nos próximos dias

O empresário do jogador francês disse que a agressão de Zidane em Materazzi foi provocada por "um comentário muito sério" feito pelo zagueiro. "Ele me disse que Materazzi disse algo muito sério a ele, mas não falou o que era", disse Alain Migliaccio.

"Zidane não quer falar sobre isso, mas ele irá se pronunciar nos próximos dias. Ele é um homem que normalmente ignora este tipo de situação, mas no domingo algo explodiu dentro dele. Ele estava muito desapontado e triste. Não queria que terminasse dessa maneira."

O capitão francês acabou sendo expulso da partida pela agressão e não retornou a campo para receber a medalha de segundo lugar. A final de domingo marcou a despedida do jogador do futebol.

Replay da imagem

WM 2006 Finale Italien Frankreich Rot für Zidane

Após ser alertado pelo 4º auxiliar, o árbitro Horacio Elizondo expulsou o capitão francês

O árbitro da partida, Horacio Elizondo, não viu o lance e foi alertado pelo quarto auxiliar. Só então puxou o cartão vermelho e expulsou o francês. Há especulações, desde o técnico francês Raymond Domenech até outros, de que o auxiliar interveio após ver a imagem da agressão repetida nos diversos televisores dentro do campo.

O espanhol Medina Cantalejo afirmou que viu o lance com os próprios olhos e que não se utilizou de replays da televisão. "Este incidente mostra o quão importante o quarto auxiliar é. Meu trabalho é ajudar o árbitro e foi exatamente o que eu fiz."

"Eu sempre digo ao meu quarto auxiliar para ficar observando os jogadores porque coisas podem acontecer em lances sem bola enquanto os jogadores retornam a suas posições, e foi isso o que ocorreu", disse Elizondo.

O porta-voz da Fifa, Andreas Herren, negou que tenha havido o uso do auxílio do vídeo neste caso. "O quarto auxiliar viu o que aconteceu diretamente em campo e imediatamente avisou o árbitro, que tomou a medida necessária."

Perdoado

A maioria dos franceses disse perdoar Zidane pelo comportamento violento. Uma pesquisa que ouviu 802 pessoas mostra que 61% perdoam o capitão francês. Perguntados se compreendiam a reação do jogador, 52% responderam que sim. A consulta foi realizada pelo instituto CSA ouvindo pessoas acima de 15 anos de idade.

Leia mais