Martin Schulz anuncia volta à política alemã | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 24.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Martin Schulz anuncia volta à política alemã

Presidente do Parlamento Europeu anuncia que vai deixar cargo para se candidatar nas próximas eleições legislativas na Alemanha. Anúncio aumenta especulações de que ele pode concorrer contra Merkel.

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, anunciou nesta quinta-feira (24/11) que vai abandonar o cargo e voltar a se dedicar à política na Alemanha, sua terra natal. A declaração de Schulz levanta rumores de que ele possa tentar concorrer nas próximas legislativas alemãs, em 2017, contra a chanceler federal Angela Merkel.

"Não vou concorrer para presidente do Parlamento Europeu no próximo ano. Vou me candidatar ao Bundestag [Parlamento] alemão como cabeça de lista do meu partido, o SPD, pela Renânia do Norte-Vestfália", anunciou Schulz, numa declaração à imprensa, em Bruxelas. "Não foi uma decisão fácil", revelou, acrescentando que "é uma honra ser presidente do Parlamento Europeu".

Schulz não confirmou se pretende concorrer à chancelaria federal, mas acredita-se que terá uma posição importante para o SPD. Caso não dispute o cargo com Merkel, especula-se que poderá substituir o ministro do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, caso ele realmente assuma a presidência.

O SPD é atualmente parceiro da coalizão governamental alemã liderada por Merkel. A atual chanceler, por sua vez, anunciou no domingo que vai concorrer a um quarto mandato, depois de 11 anos no governo do país.

Schulz, 60 anos, é deputado do Parlamento Europeu desde 1994 e entre 2004 e 2012 foi o líder da bancada socialista. Foi eleito presidente em 17 de Janeiro de 2012.

Apesar de sua decisão de deixar o atual cargo, Schulz afirmou que continuará comprometido com seu projeto europeu, mesmo se só puder implementá-lo a partir de Berlim. "A integração europeia é, na minha opinião, o maior projeto civilizatório dos últimos séculos", avaliou.

IP/afp/lusa/dpa

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados