Marchas de Páscoa marcam oposição popular a armas nucleares | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 10.04.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Marchas de Páscoa marcam oposição popular a armas nucleares

As tradicionais Marchas de Páscoa levam milhares de manifestantes às ruas durante os dias de feriado. Entre as principais reivindicações estão o fim das armas nucleares e a paz no mundo.

default

Passeatas pela paz acontecem em mais de 70 cidades da Alemanha

As passeatas pela paz acontecem em mais de 70 cidades da Alemanha durante os quatro dias de feriado da Semana Santa. Algumas ocorrem nas proximidades de bases militares, como, por exemplo, a base norte-americana de Ramstein.

Neste ano, a meta das manifestações é questionar a atuação da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e o uso de armas nucleares. Ativistas criticam os resultados da recente cúpula da Otan, realizada na França e na Alemanha, que, segundo eles, não passou de uma confirmação da guerra no Afeganistão.

"Armas obsoletas"

Frank-Walter Steinmeier, ministro alemão das Relações Exteriores, exigiu que sejam retiradas as armas atômicas que os Estados Unidos mantêm estacionadas na Alemanha. "Essas armas são hoje militarmente obsoletas", disse Steinmeier ao semanário Der Spiegel. Segundo o ministro, a retirada deveria ser debatida tendo em vista a estratégia norte-americana de desarmamento nuclear anunciada pelo presidente Barack Obama há cerca de uma semana.

Ostermarsch 1963 in Frankfurt am Main

Frankfurt em 1963: tradição de ir às ruas nos feriados da Páscoa começou no país nos anos 1960

A opinião de Steinmeier vai contra a postura da premiê alemã, Angela Merkel, que defendeu há pouco que a Alemanha deve manter estacionadas em seu território as armas atômicas norte-americanas, a fim de garantir sua influência na Otan. Segundo o Ministério alemão da Defesa, só os países que possuem essas armas podem "ser ouvidos seriamente" na aliança.

A presidente do Partido Verde, Claudia Roth, acusa o governo do país de emitir "sinais políticos fatais". Ela criticou o "silêncio tumular" da premiê Angela Merkel em relação à intenção de Steinmeier de negociar neste sentido com os EUA. Para os Verdes, o governo alemão deve "rejeitar sem ressalvas a energia nuclear no país".

Desarmamento mundial

Os ativistas que participam das passeatas na Alemanha afirmam esperar que Obama continue a política esboçada durante sua recente visita à Europa. Durante sua passagem por Praga, o presidente norte-americano formulou sua visão de um mundo sem armas nucleares.

Os manifestantes das passeatas de Páscoa na Alemanha protestam também em prol de causas sociais, como o combate à pobreza e o desmantelamento do Estado de bem-estar social. Mais democracia e respeito aos direitos humanos são outros tópicos defendidos pelos ativistas.

As chamadas Marchas de Páscoa foram iniciadas no Reino Unido, incentivadas pelo filósofo Bertrand Russel no ano de 1958, quando mais de 10 mil pessoas se reuniram em Londres na sexta-feira da paixão em prol do desarmamento nuclear. A primeira Marcha de Páscoa na Alemanha aconteceu em 1960, em plena Guerra Fria. Naquela década, os protestos chegaram a reunir 150 mil pessoas nas ruas do país.

SV/ap/dpa/epd

Revisão: Rodrigo Rimon Abdelmalack

Leia mais