1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Malaysia Airlines retira ações da bolsa de valores

Medida faz parte de plano de recuperação econômica da empresa, anunciado pelo governo da Malásia. Companhia acumulou prejuízos nos últimos anos e teve situação financeira agravada ao sofrer duas tragédias neste ano.

A companhia aérea Malaysia Airlines suspendeu a venda das ações de bolsa de valores do país nesta segunda-feira (15/12) no âmbito de um plano de resgate do governo para a empresa, que vem lutando pela sobrevivência depois de perder dois aviões neste ano.

As operações já deficitárias da Malaysia Airlines sofreram um golpe ainda maior após as duas recentes tragédias com aviões da empresa. A companhia informara na semana passada que as negociações das ações na bolsa de Kuala Lumpur seriam suspensas a partir desta segunda-feira.

De acordo com um plano anunciado em agosto, o fundo de investimento estatal Khazanah Nasional, que já possuía cerca de 70% de controle da empresa, está adquirindo todas as ações remanescentes, tirando-a do mercado de valores.

Symbolbild zum MH17 Bericht

Separatista pró-Rússia sobre pedaço do Boeing 777 da Malaysia Airlines, no leste da Ucrânia: tragédias agravaram situação financeira

O governo da Malásia, através do Khazanah, pretende injetar 1,7 bilhão de dólares e cortar seis mil postos de trabalho – que equivalem a 30% dos funcionários da companhia aérea. O plano de reabilitação de cinco anos também pretende reduzir as rotas da empresa, com o objetivo de levar o grupo de volta à lucratividade.

A Malaysia Airlines acumulou prejuízos durante os últimos anos, devido à concorrência acirrada e altos custos operacionais. Sua situação financeira piorou depois das duas tragédias deste ano. Em 8 de março, o voo MH370, com destino a Pequim, com 239 pessoas a bordo, desapareceu depois de decolar de Kuala Lumpur e ainda não foi encontrado. O voo MH17, com 298 pessoas a bordo, foi abatido sobre o leste da Ucrânia em 17 de julho.

MD/afp/dpa

Leia mais