1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Mais uma empresa do grupo Kirch pede concordata

O império alemão de mídia de Leo Kirch está se desmantelando aos poucos. Após o pedido de concordata da KichMedia, em abril, agora foi a vez da empresa de tevê por assinatura.

default

Logotipo da filial do grupo Kirch de tevê por assinatura

A KirchPayTV é um dos três pilares do império do magnata alemão da mídia Leo Kirch, que começou a ruir um mês atrás. A crise estourou em abril com a concordata da KirchMedia, a empresa que concentrava os principais negócios do grupo, às voltas com uma dívida total estimada em 6 bilhões de euros.

Também entraram com pedido de concordata três filiais da KirchPayTV: a PayTV Rechtehandels GmbH, de comércio de direitos de transmissão na tevê por assinatura, a Premiere Beteiligungs GmbH, de participações e a BetaDigital, uma sociedade de serviços digitais para televisão. No correr do dia espera-se também que a Kirch Marketing Services peça concordata em Hamburgo.

Première escapa mais uma vez da concordata

Ao que tudo indica, não foi afetado pelo pedido de concordata o canal Première de TV por assinatura, com 2,4 milhões de assinantes. Ele é 100% uma filial da KirchPayTV e o verdadeiro pivô do desastre financeiro do grupo Kirch. No ano passado, o canal acumulou um prejuízo de 989 milhões de euros, antes do pagamento de impostos e juros.

"Os assinantes de Première poderão continuar contando com toda a programação que oferecemos", fez questão de frisar seu diretor, Georg Kofler, mencionando a luta de boxe de Mike Tyson contra Lennow Lewis, em 8 de junho, e a transmissão completa dos jogos da Copa do Mundo.

Segundo fontes da empresa, o canal Première tentará sobreviver sem decretar insolvência. Com o pedido de concordata da KirchPayTV, ele poderá desligar-se do grupo Kirch, o que deverá facilitar o saneamento da empresa, avaliam círculos ligados à mídia na Alemanha. Em março começou a ser executado um plano que prevê cortes de custos de até 100 milhões de euros no primeiro semestre. Um mês atrás, Première conseguiu livrar-se no último momento da concordata. A diretoria da KirchMedia chegou a anunciar o pedido, diante das câmaras de tevê, o que foi imediatamente desmentido pela gerência do Première.

Murdoch e Bertelsmann: possíveis interessados

Durante semanas, os bancos credores e a direção do grupo Kirch procuraram desesperadamente uma solução para a KirchPayTV. O magnata americano-australiano da mídia Rupert Murdoch teria grande interesse em assumir o canal, segundo fontes do setor, apesar dos seus desmentidos.

A BSkyB de Murdoch detém 22% da KirchPayTV. A Taurus, holding do grupo Kirch, detém o maior quinhão, 69,75%. Outro gigante da mídia, a Bertelsmann alemã também tem sido citada entre os candidatos a assumir o canal de tevê por assinatura.