Mais policiais mortos em tiroteio nos EUA | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 17.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Mais policiais mortos em tiroteio nos EUA

Depois das cinco mortes nos protestos em Dallas, pelo menos três outras mortes de agentes da lei abalam o sul dos EUA. Pré-candidato republicano Donald Trump aproveita para exigir mais liderança e "lei e ordem".

Agentes da lei na rua após assassinato em Baton Rouge

Agentes da lei sofreram tocaia

Dez dias em seguida à morte de cinco policiais em Dallas, três outros foram fuzilados neste domingo (17/07) em Baton Rouge, capital do estado americano de Luisiana. Segundo o prefeito da cidade, mais "quatro a sete" agentes da lei teriam sido feridos e estão hospitalizados.

O tiroteio ocorreu às 9h, hora local (11h em Brasília). Os agentes foram vítimas de uma emboscada quando atendiam a um chamadode emergência, a cerca de 1,5 quilômetro da central polícia, relativo a tiros ouvidos.

Um dos suspeitos do ataque foi abatido, porém dois outros estão foragidos, informou uma porta-voz da polícia. O público de Baton Rouge está em alerta, caso aviste pessoas vestidas de preto e portando armas de cano longo.

Em post no Facebook, o pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos Donald Trump aproveitou os assassinatos para reforçar sua campanha por uma linha mais dura. "Nós pranteamos os policiais mortos hoje em Baton Rouge. Quantos agentes da lei e cidadão têm que morrer por causa da falta de liderança em nosso país? Nós exigimos lei e ordem."

Protesto contra violência policial em Baton Rouge, 09/07/2016

Protesto contra violência policial em Baton Rouge, 09/07/2016

Tensões crescentes entre polícia e população negra

Embora as respectivas raças dos suspeitos e dos agentes envolvidos ainda não sejam conhecidas, algumas fontes já interpretam as mortes como uma culminação das crescentes tensões na cidade – e nos Estados Unidos – entre as forças de segurança e a comunidade afro-americana.

No início de julho, o negro Alton Sterling, de 37 anos, foi morto por agentes brancos na cidade sulista Baton Rouge, em seguida a uma discussão numa loja de conveniência. A morte foi filmada em vídeo amplamente divulgado na internet, desencadeando uma série de protestos por todos os EUA.

Durante uma passeata em Dallas. em 7 de julho, em protesto pela morte de Sterling e pela violência policial contra afro-americanos em geral, cinco policiais brancos foram mortos a tiros e sete ficaram feridos.

AV/rtr/afp/ap/dpa

Leia mais