1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Maestro Seiji Ozawa completa 80 anos

Regente japonês começou a carreira como bolsista de Herbert von Karajan e da Filarmônica de Berlim. Foi assistente de Leonard Bernstein e maestro titular por quase 30 anos da Orquestra Sinfônica de Boston.

Seiji Ozawa nunca foi muito afeito a expressões faciais dramáticas nem gestos exagerados com a batuta – atitude que geralmente tem por objetivo prender a atenção tanto o público como dos músicos da orquestra. Mas quando se trata de transmitir suas ideias de interpretação, o calmo por natureza maestro Ozawa sabe muito bem ser enérgico e se impor perante a orquestra. Já há décadas Seiji Ozawa é um dos regentes mais importantes do Japão e sem dúvida uma das grandes estrelas dos palcos internacionais. O que pouca gente sabe é que a batuta foi uma solução de emergência para salvar sua carreira musical.

De pianista a regente

Ozawa nasceu em 1ª de setembro de 1935 no estado de Mandschukuo, que hoje pertence à China. Seu pai era dentista, mas ele nunca demonstrou o menor interesse em seguir a profissão. Sua paixão era o piano.

Depois que a família mudou-se para o Japão, Seiji Ozawa, então com nove anos de idade, começou a ter aulas com o famoso violoncelista e maestro Hideo Saito, e se dedicou intensamente às obras para piano de Johann Sebastian Bach.

A almejada carreira de pianista teve porém um fim inesperado. Ozawa sofreu um grave ferimento na mão durante um jogo de rugby. Incentivado por seu professor Saito, ele passou a se dedicar então à regência.

Japan Musik Dirigent Seiji Ozawa in Prag 1967

Seiji Ozawa regendo em Praga, em 1967

Bolsa de estudos com Karajan

Em 1959, Ozawa ficou em primeiro lugar no conceituado Concurso Internacional para Regentes na cidade francesa de Besançon. Na ocasião, Charles Münch, o diretor musical da Orquestra Sinfônica de Boston, se interessou pelo jovem Ozawa e o convidou para estudar com seu colega Pierre Monteux, no renomado Music Center Tanglewood, em Boston, nos Estados Unidos. Pouco tempo depois, o jovem estudante de 25 anos pôde provar seu enorme talento musical quando ganhou o Prêmio Koussevitzky, o mais conceituado em Tanglewood.

Em 1960, Ozawa recebeu uma bolsa para estudar com o famoso maestro austríaco Herbert von Karajan, regente da Filarmônica de Berlim. Ele viveu durante um ano na antiga Berlim Ocidental, onde conheceu Leonard Bernstein, que o convidou posteriormente para ser seu assistente. Em Nova York, recebeu então os últimos retoques na sua formação profissional como regente e, em 1962, estreou à frente da Orquestra Sinfônica de São Francisco.

Início da carreira nos EUA

Nos anos seguintes, o jovem regente ganhou reconhecimento nos Estados Unidos. Depois de atuar como regente convidado em Chicago e em Toronto, no Canadá, Ozawa assumiu, em 1973, o posto de diretor musical da Orquestra Sinfônica de Boston, uma das cinco mais importantes orquestras dos Estados Unidos.

Japan Musik Dirigent Seiji Ozawa in Wien 2005

Tradicional Baile da Ópera de Viena, em 2005

Foi assim que começou um relacionamento artístico extremamente longo e produtivo: até 2002 Seiji Ozawa conduziu a Orquestra Sinfônica de Boston, e esse contato perdurou por vários anos. Durante os quase 30 anos de atuação à frente da orquestra, ele não apenas consolidou a reputação mundial da Sinfônica de Boston como também trabalhou um amplo repertório, incluindo inúmeras obras de música contemporânea, e gravou ainda com essa orquestra a maioria de seus mais de 400 discos e CDs.

Aclamado mundialmente

Como regente da Orquestra Sinfônica de Boston, Ozawa realizou com muito sucesso turnês por todo o mundo, sendo ovacionado não apenas em seu país natal como também em todas as principais metrópoles europeias. Em 2002, com 67 anos de idade, o maestro encerrou seu trabalho como diretor musical em Boston e prosseguiu sua carreira em Viena, assumindo o posto de Diretor Musical da Ópera Estatal. No mesmo ano, regeu o tradicional concerto de Ano Novo da Orquestra Filarmônica de Viena.

Por motivos de saúde, Seiji Ozawa cancelou em 2010 todos os seus compromissos e renunciou a todos os postos em que atuava, retirando-se da vida artística. Depois de sua recuperação, em 2013, voltou a reger no Saito Kinen Music Festival, no Japão, do qual é um dos fundadores. Hoje Seiji Ozawa completa 80 anos, e o que não falta na vida do grande maestro são planos musicais para o futuro!

Leia mais