1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Luzes, câmera, canção: Alemanha busca um novo ídolo

A mais recente atração da TV alemã é um show de calouros que está no ar desde novembro. Quinze milhões de telespectadores não perdem as eliminatórias.

default

Os finalistas Daniel, Juliette e Alexander com o produtor Dieter Bohlen

Big Brohter definitivamente já era. A moda agora é Deutschland sucht den Superstar (Alemanha procura uma super estrela), uma versão mais moderna do conteinêr onde os participantes ficavam isolados, disputando com todas as armas emocionais a simpatia do público apenas para chegar lá, na final.

Chegar lá é o que almejam também os agora três finalistas do show que exige dos candidatos o dom de saber cantar. Bem, pelo menos esta era a proposta oficial, realizar um concurso para contemplar a Alemanha com um novo astro da canção. Desde novembro, entretanto, quando o primeiro "capítulo" foi ao ar, muita coisa mudou. Compreensível, pois, como qualquer novela, é preciso se adaptar ao gosto popular, afinal o índice de audiência é a alma do negócio. E que negócio!

Deutschland sucht den Superstar, também conhecido pela sigla DSDS, é um show do superlativo: na fase de seleção, mais de 10 mil pessoas se inscreveram, convencidas de que seu talento precisava ser descoberto. Cem jovens conseguiram chegar à fase seguinte e somente 30 garantiram uma vaga na estréia do programa.

A fórmula do show não tem mistério. Os participantes ensaiam durante uma semana a canção que irão defender na noite de sábado. Dois apresentadores comandam o espetáculo que tem um júri fixo, no melhor estilo Chacrinha. Os "especialistas" em música adoram, por exemplo, fazer críticas maldosas, questionar o visual, enfim, testar o equilíbrio emocional dos concorrentes.

Marqueteiro da pesada

Dieter Bohlen

Dieter Bohlen

Um dos grandes responsáveis pelo sucesso do DSDS é o fenômeno da multimídia, Dieter Bohlen, um quarentão com pinta de galã que tem o dom de estar sempre em evidência, seja por escândalos amorosos, biografia fofoqueira ou por sua atuação como vocalista do Modern Talking. Ele é o produtor, um dos jurados e - holofotes, por favor, - o comentarista do show. Com frases do tipo "você não canta nada", "você não tem o menor talento", "você é tudo aquilo de que nós não precisamos", Bohlen comanda o espetáculo e garante audiência.

Deutschland sucht den Superstar

Candidatos cantam "We have a Dream"

Em uma tacada de mestre, ele gravou com dez finalistas uma balada, We Have a Dream, que ficou semanas no topo da parada de sucessos da Alemanha e já vendeu quase um milhão de cópias. Bohlen recebe, de quebra, 90 centavos de direito autoral cada vez que a canção é executada.

Faniquito dá ibope

O DSDS difere do programa convencional de calouros em dois aspectos: os candidatos ficam isolados até serem desclassificados, e é o público que tem a palavra final sobre quem fica e quem vai embora. Após a apresentação, os telespectadores ligam dando seu voto. Quem receber menos, cai fora. Este é outro ponto alto do espetáculo: a reação do perdedor, a comoção dos concorrentes, nessa hora um chilique é sempre bem-vindo. E ele sempre acontece.

Isolados do mundo

Alexander Klaws Deutschland sucht den Superstar

Alexander Klaws

No sábado, dia 1º de março, acontece a semifinal do DSDS, reduzido a três candidatos: Alexander Klaus, 19 anos, jeito de garoto comportado e genro ideal; Juliette Schopmann, 22 anos, a bonita perfeitinha que a nação ainda gostaria de saber se implantou ou não silicone nos seios; e Daniel Küblböck, 17 anos, o garoto maluquinho.

Juliette Schoppmann Deutschland sucht den Superstar

Juliette Schoppmann

Desde novembro eles estão isolados em uma mansão nas proximidades de Colônia de onde só saem para compromissos de divulgação, sempre acompanhados por guarda-costas. Inúmeros fãs passam o dia no local tentando ver seus ídolos, que estão proibidos até de acenar da janela.

Mamãe, olha eu aqui!

O mais irreverente dos candidatos é Daniel Küblböck, que conseguiu até desbancar seu xará, o brasileiro Daniel Lopes, tido como um dos favoritos. Küblböck já lançou a moda de meias coloridas, adora improvisar no palco e vestir roupas nada convencionais.

Daniel Küblböck Deutschland sucht den Superstar

Daniel Küblböck

O pessoal curte a figurinha franzina que gesticula sem parar, bem-humorada, risonha e que gosta de criar polêmica em torno de sua sexualidade. Todos esses atributos fazem dele um sucesso. Recentemente esteve assinando o livro de ouro de sua cidade natal, um povoado no sul da Baviera, quando foi recebido como herói. Com tudo isso, quem liga para o fato de Daniel ter uma voz anasalada e esquisita?

Show bussiness

Os alemães adoram o show. Prova é o recorde de audiência que ultrapassa os 15 milhões de telespectadores, o que permite que a produção cobre a "bagatela" de quase 77 mil euros pela inserção de um comercial de 30 segundos. A tele-votação de 0,49 cents por chamada chega a render um milhão de euros.

Não há como ficar imune ao DSDS. A imprensa não cansa de falar sobre o concurso, até as emissoras concorrentes se curvaram ao sucesso e tiram sua "casquinha" falando sobre o programa, contando fofocas ou entrevistando os candidatos.

Apesar de todo o euforismo, sempre há os críticos de plantão. A principal acusação contra o DSDS diz respeito à honestidade do programa, pois a porcentagem de votos nunca é divulgada. Os organizadores afirmam que revelar esses dados comprometeria as futuras eliminatórias. Os céticos garantem que é um jogo de cartas marcadas.

"O programa Superstar é ideal para mim", resume Daniel Küblböck, que, como os demais candidatos, não está nem aí para as críticas. A fama, essa sim, é o que interessa. E independente do resultado final, eles já chegaram lá.

Leia mais

Links externos