1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

(Lou)Cura pela Literatura

Encerrado maior projeto literário alemão sobre a 2ª Guerra – Coleção divulga obras proibidas na Alemanha comunista – Uma farmácia de teorias recapitula os últimos 50 anos das Ciências Humanas em doses homeopáticas

default

Não existem livros morais nem imorais. Apenas livros bem escritos ou não. E basta. (Oscar Wilde)

O escritor e professor Walter Kempowski (Rostock, 1929), homenageado com o Prêmio Thomas Mann deste ano,

Kempowski

Walter Kempowski

publicou o último volume da sua monumental obra Echolot. Esta colagem de documentos sobre a Segunda Guerra coloca lado a lado diários pessoais, cartas, trechos de biografias, relatos de época, sem fazer distinção entre criminosos e vítimas.

Depoimentos de prisioneiros de campos de concentração aparecem ao lado de propaganda nazista e reflexões historiográficas escritas a posteriori, compondo um discurso polifônico sobre a maior ruptura histórica do século 20. Neste caso, "autoria" significa apenas compilação, pois Kempowski não escreveu nem uma única linha deste abrangente compêndio.

No quarto e último volume de seu Echolot, intitulado Abgesang 1945, Kempowski – que foi recrutado em 1944, aos 15 anos de idade, como auxiliar na defesa antiaérea –

Buchcover: Kempowski - Das Echolot, Abgesang '45

Walter Kempowski - "Das Echolot, Abgesang '45"

alinhava a colcha de retalhos dos últimos meses da guerra. O coroamento deste diário coletivo foi festejado pela crítica alemã como "um dos mais ambiciosos e impressionantes empreendimentos da literatura alemã" ( Süddeutsche Zeitung).

Poesia em baixa na Alemanha

Um em cada dois alemães mal se interessa por poesia e já não lê poemas há muito tempo. Sobretudo os homens são uma negação na arte lírica. Ao que tudo indica, poesia é mesmo coisa da juventude: um em cada dois alemães entre 14 e 19 anos afirma ter lido pelo menos um poema na semana passada, seja voluntariamente ou por obrigação...

A escola com certeza tem uma grande influência sobre isso, mas parece não gerar interesse muito duradouro. Entre leitores de 20 a 29 anos, 63% já não lêem poesia há muito tempo. Isso foi o que indicou uma enquete do instituto de pesquisa Polis, divulgada por ocasião do Dia Internacional da Poesia, 21 de março.

Dar voz a quem se calou à força

Com a coleção Die Verschwiegene Bibliothek (A Biblioteca Calada), os germanistas Joachim Walther e Ines Geipel revelam ao público leitor a literatura proibida pela censura da antiga Alemanha Oriental. A idéia do projeto, explica Walther, é mostrar a vitalidade da literatura escrita pela resistência ao regime comunista.

Os dois primeiros volumes da coleção, lançados durante a Feira de Livros de Leipzig, são Blende 89, de Radjo Monk, e Jahr ohne Frühling (Ano sem Primavera), de Edeltraud Eckert, uma autora que morreu na prisão aos 25 anos, em 1955. Ambos os manuscritos fazem parte do acervo do Arquivo de Literatura Oprimida na República Democrática da Alemanha, reunido por Geipel e Walther entre 2001 e 2004. A coleção, planejada para ter 20 volumes, recebe o apoio de uma fundação responsável pelo trabalho de memória sobre a ditadura socialista alemã.

Novo portal para weblogs literários

O site brasileiro www.wunderblogs.com serviu de inspiração para o mais novo portal de blogs literários da Alemanha: litblogs.net. Os iniciadores do projeto foram Hartmut Abendschein e Markus a. Hediger. A idéia era criar uma plataforma para representar, através de weblogs e RSS-Feeds, autores com criação literária independente.

Ao contrário do modelo brasileiro, o portal alemão só inclui participantes autônomos que tenham seu próprio site. A página inicial do litblogs é, portanto, uma espécie de índice de revista em tempo real, com os respectivos links. O objetivo é abrir o portal para o maior número possível de autores, mas – a fim de garantir um padrão estético mínimo – a aceitação de participantes é decidida em equipe.

Leia a seguir a resenha do livro Theorie-Apotheke: Eine Handreichung zu den humanwissenschaftlichen Theorien der letzten fünfzig Jahre, einschließlich ihrer Risiken und Nebenwirkungen (Farmácia de Teoria: Socorro às Teorias de Ciências Humanas dos últimos 50 anos, inclusive efeitos colaterais e contra-indicações), do teórico de literatura e mídia Jochen Hörisch.

Leia mais

Links externos