1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Berlinale

Longa "Que horas ela volta?" é premiado em Berlim

Filme da diretora brasileira Anna Muylaert recebe duas premiações independentes no festival internacional Berlinale. Drama familiar retrata vida de uma babá que trabalha para família rica em São Paulo.

default

Cena do drama familiar de Anna Muylaert

O filme brasileiro Que horas ela volta?, da diretora Anna Muylaert, recebeu o prêmio Panorama de melhor longa-metragem de ficção, uma das premiações independentes da 65ª edição do festival internacional de cinema Berlinale. Este ano, 52 filmes de 38 países concorriam ao Panorama, cujo vencedor é escolhido pelo público.

A obra é um drama familiar, que mostra como uma babá, representada por Regina Casé, que trabalha para uma família rica de São Paulo, vê sua vida se transformar quando a filha (Camila Márdila) decide se mudar para a cidade.

A diretora explica que o filme trata, na verdade, de uma questão social. "No Brasil, a maioria das pessoas de classe média e alta tem babás. O trabalho materno de cuidar da criança é, na maioria das vezes, menosprezado".

Muylaert explicou que a inspiração para o filme surgiu quando ela teve seu primeiro filho. "Havia a idéia de talvez contratar uma baba, mas eu recusei. Eu mesma queria criá-lo, porque considerava a maternidade, a oportunidade de cuidar de uma criança, um trabalho sagrado. Percebi que no meu país, esse era considerado um trabalho de segunda classe."

"Educação começa na relação mãe e filho"

"Eu sempre fui muito revoltada com essa questão", contou a diretora. "A verdade é que, quem teve uma babá no Brasil sabe que a essa 'segunda mãe', em geral, é muito mais afetiva do que a primeira."

Ela explica que a educação é um tema central da obra. "Tudo no filme fala disso: desde a educação formal, da faculdade, à educação da mãe, o afeto. Num país onde a população não tem acesso a educação, não se conquista o direito à cidadania", observou. "E eu acho que a educação começa na relação mãe e filho."

Antes de chegar à Berlinale, o filme havia recebido uma premiação importante no conceituado Festival de Sundance, nos Estados Unidos, onde as atrizes protagonistas dividiram o prêmio especial de interpretação da mostra World Cinema.

Além do Panorama, o filme Que horas ela volta?recebeu, também na Berlinale, o prêmio da Confederação Internacional de Cinema de Arte e Ensaio (CICAE).

Leia mais