Lochte perde patrocínio após escândalo | Rio 2016 | DW | 22.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Lochte perde patrocínio após escândalo

Speedo, principal patrocinadora do nadador, diz que não pode aceitar "comportamento que vai contra os valores" da empresa e anuncia doação de 50 mil dólares, retirada de honorários do esportista, a crianças brasileiras.

Ryan Lochte

Ryan Lochte ganhou 12 medalhas olímpicas ao longo de sua carreira

Após a confusão causada pela falsa notificação de um roubo no Rio de Janeiro, a Speedo anunciou nesta segunda-feira (22/08) que não vai mais patrocinar o nadador e medalhista olímpico americano Ryan Lochte, de 32 anos.

"Embora apreciemos a relação vitoriosa que tivemos com Ryan por mais de uma década e ele tenha sido um importante membro do time da Speedo, não podemos aceitar um comportamento que vai contra os valores que a marca representa", afirmou a empresa, em um comunicado.

"Reconhecemos suas muitas conquistas e esperamos que ele siga adiante e aprenda com essa experiência", acrescentou a Speedo sobre o nadador, que ganhou 12 medalhas olímpicas ao longo de sua carreira, sendo seis de ouro.

A empresa anunciou ainda que doará 50 mil dólares, retirados dos honorários do nadador, para a organização Save the Children, que defende direitos das crianças em todo o mundo. O montante deverá ser usado para atender a necessidades de jovens brasileiros.

Outra patrocinadora do nadador, a marca de artigos de luxo Ralph Lauren já anunciou que não vai renovar com ele. Segundo a empresa, o contrato valia apenas para os Jogos Olímpicos, e todas as referências ao atleta em seu site foram apagadas.

O anúncio foi feito dois dias após Lochte dar uma entrevista à emissora de televisão Globo, na qual voltou a insistir que não mentiu sobre o episódio, mas apenas exagerou ao contar os fatos.

Lochte havia dito que ele e três nadadores americanos foram roubados ao sair de uma festa no Rio de Janeiro. O grupo, porém, caiu em controvérsias ao contar a história, e a polícia começou a desconfiar dos esportistas. Os investigadores estranharam também que eles não tenham tido seus celulares, relógios ou credenciais da Vila Olímpica roubados.

Após localizar imagens de câmeras de segurança de um posto, a polícia descobriu que os nadadores, na verdade, não haviam sido assaltados, mas sim depredado o local e, depois, foram impedidos de deixar o posto por um segurança enquanto não pagassem pelo prejuízo causado.

Além da Speedo, a Ralph Lauren, a Gentle Hair Removal e Airwave anunciaram que não irão renovar contratos que mantinham com Lochte.

CN/rtr/afp/ap

Leia mais