1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Lobista alemão faz denúncia mas não apresenta provas

Karlheinz Schreiber anunciou que faria uma revelação surpreendente sobre um depósito ilegal de donativos à União Social-Cristã (CSU), durante inquérito realizado em Toronto, no Canadá.

default

O lobista alemão Karlheinz Schreiber

Os políticos da Alemanha aguardaram com ansiedade o depoimento de Karlheinz Schreiber, lobista da indústria de armas. Afinal, ele havia manifestado disposição em revelar a origem de doações ilegais no valor de 2,66 milhões de euros, que teriam sido depositadas em uma conta secreta da União Social-Cristã (CSU).

Durante depoimento prestado na terça-feira (14) em Toronto, Canadá, onde o lobista vive atualmente, à Comissão Parlamentar de Inquérito do Parlamento da Alemanha que investiga doações ilegais aos partidos, o que se ouviu ficou aquém de qualquer revelação bombástica.

Schreiber confirmou a transação ilegal, afirmando inclusive que Edmund Stoiber, presidente da CSU, tinha conhecimento da entrada não oficial de dinheiro e "fechou os olhos" para a questão. Apesar da grave acusação, ele não apresentou nenhuma prova e por isso seu depoimento foi considerado infundado.

"Nesse tipo de negócio não há recibo para mostrar", defendeu-se Schreiber. E tampouco testemunhas. As pessoas que saberiam do caso, como Franz Dannecker, responsável pelo recolhimento de donativos do CSU, já morreram. Portanto, não haveria como comprovar a veracidade de suas palavras.

Verdade ou mentira? - O presidente da CPI alemã, deputado Volker Neumann (SPD), declarou que Schreiber foi bastante convincente em seu depoimento, embora a falta de provas deixe dúvidas no ar. "O que ele disse pode bem ter acontecido como pode não ter acontecido".

Inacreditável - O principal acusado, Edmund Stoiber, governador da Baviera e presidente da CSU, além de candidato ao cargo de chanceler federal da Alemanha, nas próximas eleições, demostrou revolta com a denúncia de Schreiber: "Para mim, seu depoimento é tão contraditório e inacreditável que nem quero me pronunciar a respeito."