1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Livro celebra inovações alemãs

O que têm em comum o formato de arquivo mp3, o creme dental e o filtro de café? Todos são invenções alemãs, assegura uma cartilha lançada pelo governo e a indústria do país.

default

O mp3 é o formato utilizado pela Apple no sucesso de vendas iPod

Que o automóvel – criado por Karl Benz e Gottlieb Daimler em 1886 – e o motor a diesel – idéia de 1890 de Rudolf Diesel – foram inventados por alemães, é sabido de todos. Mas o mp3, o creme dental e o filtro de café? Pois é o que nos lembra a cartilha "Estrelas alemãs – 50 inovações que todos deveriam conhecer", lançada em formato de livro de bolso pela iniciativa Parceiros pela Inovação, criada pelo governo federal e pela indústria com o intuito de estimular a inventividade dos alemães.

O livro lista 50 inovações que o mundo deve aos alemães. O formato de arquivo digital mp3, por exemplo, surgiu nos laboratórios do Instituto Fraunhofer em 1987. A intenção dos pesquisadores não era revolucionar – ou, dependendo do ponto de vista, irritar – a indústria da música, mas apenas melhorar a qualidade de ligações telefônicas.

Já o filtro de café foi patenteado em 1908 por Melitta Benz, a fundadora da empresa que leva seu nome. Para se livrar do gosto de pó no seu cafezinho, ela usou folhas de papel mata-borrão retiradas do caderno escolar de seus filhos e uma panela furada para coar o líquido. Estava criado o príncipio do filtro de café.

Levi Strauss era alemão!

Até aí, tudo bem. Mas a lista final sugere que os responsáveis pela publicação tiveram alguma dificuldade para chegar ao número 50. Senão, como explicar o que faz a Reforma, desencadeada pelas idéias do monge agostiniano Martinho Lutero, entre as "50 inovações que todos deveriam conhecer"? O texto dedicado ao tema é ainda mais sui generis: compara Lutero ao papa Bento 16, um conservador que causa preocupações aos protestantes alemães.

501 Levis Jeans

Uma das mais antigas calças Levi's existentes, com mais de cem anos

Outra escolha questionável é a de Levi Strauss, o criador da calça jeans. É verdade que ele nasceu na Alemanha, mas trocou sua terra natal ainda adolescente, com a mãe e duas irmãs, pelos Estados Unidos. E sua invenção está intimamente ligada à formação do país americano: a calça jeans surgiu como uma peça suficientemente resistente do vestuário dos mineiros que participavam da corrida do ouro na Califórnia.

Salsicha e ursinho de goma

Algumas escolhas fazem óbvias concessões ao gosto local. Só mesmo um livro editado na Alemanha poderia considerar a salsicha à moda curry, a popular currywurst, como uma "grande idéia de importância mundial", como diz o texto de apresentação do livrinho. E o que dizer dos ultradoces ursinhos de goma da Haribo, que só os alemães conseguem comer?

Produktion von Anti-Baby-Pillen bei Schering

Linha de produção de anticoncepcionais da Schering

Já outras inovações parecem ter contado com uma "mãozinha amiga" para entrar no livro. É o caso dos elevadores gêmeos desenvolvidos pela ThyssenKrupp, que, coincidência ou não, é uma das patrocinadoras da obra.

A outra é a Schering, mas ninguém tiraria mesmo os méritos da pílula anticoncepcional de fazer parte da lista. Só fica a dúvida se ela é alemã: a Wikipedia, por exemplo, atribui seu surgimento aos esforços do químico Carl Djerassi (austríaco) e do físico e biólogo Gregory Pincus (americano).

E se os planos da iniciativa Parceiros pela Inovação forem cumpridos à risca e o livro ganhar versão para o inglês com distribuição pelo Instituto Goethe, uma boa briga pode estar a caminho. Os orgulhosos americanos podem não gostar de saber que os alemães andam dizendo que a lâmpada elétrica e o telefone não são invenções de Thomas Edison e de Graham Bell, mas de Heinrich Göbel e de Philipp Reis. Uma pendênga que os brasileiros também conhecem: afinal, foi Santos Dumont ou foram os irmãos Wright que inventaram o avião?

Aos interessados: o livro tem distribuição gratuita na Alemanha (basta solicitá-lo pelo site da Parceiros pela Inovação), e alguns dos 50 mil exemplares serão distribuídos em todo o mundo pelo Instituto Goethe.

Leia mais

Links externos