1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Licença para cuidar do melhor amigo do homem

Cerca de cinco milhões de cães vivem na Alemanha. Treinadores especializados dão cursinhos na base dos truques e uma dose extra de “psicologia” para que seu comportamento seja exemplar dentro e fora do lar.

default

Querido e paparicado cada vez mais

Depois de um decreto lançado em 2000, foi criada uma "habilitação" para a posse do cachorro como animal doméstico. Esta não foi imposta como obrigação, mas muitos a consideram como símbolo de pleno entendimento entre o cão e seu proprietário. Muitos alemães gostaram da idéia, sensibilizaram-se mais ainda quanto às boas maneiras do seu fiel amigo e foram buscar ajuda profissional nas chamadas escolinhas para cachorro.

Entra em ação o "treinador" para ensinar o animal a ser "social", se adaptar melhor à convivência com o ser humano e suas necessidades. O profissional observa as inclinações, aptidões, como também as imperfeições do animal e se empenha para moldá-lo por meio de um treinamento intensivo.

Hundeausstellung in Dortmund

Ao lado da treinadora, Ben demonstra suas habilidades

Na realidade, os treinadores não recebem nenhum tipo de formação reconhecida pelo Estado, mas são obrigados a possuir uma licença do Departamento do Meio Ambiente, a participar de seminários ou cursos específicos para educar cães ou ensinar o aprendizado a terceiros. Para aqueles que gostam de dedicar o seu tempo aos animais, talvez a ocupação ideal.

Faz parte do seu trabalho ensiná-los, quando ainda filhotes, a se integrar no dia-a-dia, perder o medo, por exemplo, de ruídos desconhecidos em casa ou no trânsito. Também em relação aos idosos e crianças, os cachorros são treinados a controlar o seu instinto natural e a não reagir com ataques repentinos. Por outro lado, os donos também participam, de um jeito ou de outro, na formação do seu fiel amigo, aprendendo a impor respeito e obediência de forma mais convicta, eficiente e sem agressões.

Outras áreas

Tierarzt mit Hund

O Labrador fazendo o seu check-up no veterinário

Existem pessoas que se aprofundam em várias áreas se dedicando aos caninos. Alguns "educadores" vão além e se especializam no treinamento de cães que servem como auxílio para pessoas com deficiências físicas ou que sofrem de certos tipos de doença, como por exemplo os ataques epilépticos. Outros agem treinando certas raças para buscas em casos criminais. Em casos mais extremos de comportamento, o psicólogo de animais pode ajudar com dicas terapêuticas e até encaminhando às "férias de spas".

O veterinário cuida do seu bem-estar, muitas vezes com garantia de tratamento dentário. Inclui-se na lista da vaidade os "cabeleireiros", que escovam, penteiam e tosam. No geral, esta ocupação se aprende no modelo "fazendo e aprendendo", geralmente "nos salões de beleza" caninos, que aumentam cada vez mais na Alemanha.

Dicas da Nanny na TV

Uma das treinadoras mais famosas da Alemanha chama-se Katja Geb-Mann, que dá dicas em seu programa de TV Tier-Nanny (babá de animais). A psicóloga especializada em animais trabalha há tempos com cachorros, dedicando-se principalmente aos traumatizados. Com muita teoria, mas também prática no ramo, ela sempre tem uma solução plausível para os donos que têm problemas com seus cães. Um de seus casos, o terrível Bruno, da raça Jack Russell terrier, confuso com o seu papel, achava-se o dono da casa, nem que tivesse que provar a sua majestade na base das mordidas.

Outro, cruzado com a mesma raça, com o nome mais delicado de Knöpfchen (Botãozinho), atacava o seu companheiro labrador por ciúmes, sempre quando se sentia preterido. Enfim, com todos os "conflitos peludos", a Tier-Nanny do canal Vox considera-se realizada por ter achado uma profissão com a qual ela pode ajudar pessoas e animais.

O amigo é valioso e custa muito

Geldbörse

Os gastos com o animal doméstico na Alemanha passam dos bilhões

Na Alemanha, quem tem um cachorro em casa é obrigado a pagar um imposto pela sua posse. O valor varia de cidade para cidade. Em Colônia, por exemplo, paga-se 156 euros por ano. Para raças consideradas agressivas, o imposto pode passar do dobro desta quantia. Em caso da comprovação de 100% de deficiência física do proprietário, sendo assim o animal indispensável para a sobrevivência, esta taxa é dispensada.

Muita gente tenta escapar dessa obrigação: só no ano de 2002, calculou-se em mais 200 milhões de euros de impostos não pagos às caixas estatais. Porém, o fato de ignorar o estatuto sobre a posse de cachorro, como a inscrição oficial na cidade correspondente, pode levar o dono a pagar uma multa bem cara. Em Dresden, infringir o regulamento da taxa fiscal anual pode custar até 10 mil euros. Mas as despesas não param por aí. Segundo um artigo publicado pelo site da emissora Bayerischer Rundfunk, só na compra de ração, os alemães gastam 2 bilhões de euros por ano para que o amiguinho de quatro patas se sinta bem.

Leia mais