1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

"Leviatã", um filme que divide a Rússia

Filme estreia nos cinemas russos em versão censurada e, em meio à maior crise entre Moscou e Ocidente desde a Guerra Fria, causa polêmica ao abordar temas como abuso de poder e arbitrariedade da Justiça.

O polêmico filme Leviatã, do diretor Andrey Zviáguintsev, chega causando furor em setores conservadores da Rússia. Muitos criticam o cineasta por denegrir a imagem russa apenas para ganhar prêmios em festivais promovidos em “países inimigos”. Outros, no entanto, elogiam sua coragem por abordar temas como o abuso de poder, a arbitrariedade da Justiça e a aliança entre Igreja e Estado.

Indicado à Palma de Outro em Cannes, Leviatã foi escolhido o melhor filme estrangeiro no Globo de Ouro e concorre ao Oscar de melhor longa em língua estrangeira. Ele estreou nesta quinta-feira (05/02) na Rússia em versão censurada.

Zviáguintsev conta a tragédia de uma família na província de Murmansk, no norte da Rússia, que perdeu tudo em um conflito com um prefeito corrupto. A injustiça e a impotência sentidas pelos russos diariamente é retratada no filme.

O ministro da Cultura russo, Vladimir Medinski, diz que o filme foi longe demais. Ele reconhece o talento de Zviáguintsev, mas critica Leviatã pela falta de um herói positivo. O famoso político Vitaly Milonov, de São Petersburgo, fala até em uma “obra antirrussa”.

Ele sugere que o diretor deveria devolver o dinheiro ao qual teve acesso, proveniente do incentivo público à produção de filmes. Milonov também considera que a Igreja Ortodoxa Russa ficou manchada com as cenas de culto e com a presença de um clérigo que aconselha o prefeito ao melhor estilo de um "padrinho" da máfia.

A Igreja reage

Líderes religiosos russos classificaram o filme como "muito pessimista". Vsevolod Tschaplin, responsável pelas relações da Igreja com a sociedade, diz que o filme oferece apenas clichês. “Não me admira que faça sucesso no Ocidente”, disse, em entrevista a um canal de televisão russo.

Streit über das Gesetz zu Beleidigung der Gläubigen in Russland

Tschaplin: "o filme é muito pessimista"

Zviáguintsev, por outro lado, afirma que ficou surpreso pelo fato de Leviatã ter sido levado tão detalhadamente a sério, "como se fosse um documentário". Para ele, não se trata somente da Rússia, em especial, mas das “rasteiras que as pessoas normais sofrem do sistema”.

O diretor de cinema russo e presidente do Comitê de Cultura da Câmra dos Deputados, Stanislav Govorukhin, garante que o sucesso do filme se deve principalmente à “atual conjuntura”. Segundo ele, filmes como esse têm grande demanda no exterior.

“Mas, para ter um prêmio, não basta apenas colocar nosso país em uma posição ruim e apresentar os russos como bêbados e criminosos”, questiona.

Um dos principais críticos de cinema na Rússia, Anton Dolin acredita, acima de tudo, que um fator influenciou o debate sobre o filme: o antagonismo crescente entre Rússia e Ocidente, que vivem o período de maior hostilidade desde o fim da Guerra Fria.

“Muitos acreditam que se tem de falar mal da Rússia para se ter sucesso no exterior. Eu não concordo”, destaca Dolin.

A realidade russa na tela

Outro crítico de cinema bastante conhecido na Rússia, Andrey Plakhov, não acredita que Zviáguintsev e outros diretores somente colocariam de forma crítica o sistema para agradarem ao Ocidente.

Leviatã é um filme absolutamente contemporâneo sobre a realidade atual da Rússia, que não foi embelezado e é duro e aberto”, diz Plachow.

O escritor de São Petesburgo e pesquisador literário Andrey Astvazaturov vê Leviatã como uma obra-prima. Ele acha que Zviáguintsev mereceu ganhar o Globo de Ouro e deveria ganhar o Oscar. Para o escritor, o cineasta conseguiu se comunicar com o público russo e internacional.

“Mas muitos não querem encarar a si mesmo e a Rússia como aquilo que ele esboçou. Existem muitas metáforas e símbolos no filme”, opina.

Na internet, surgiu uma campanha em benefício dos produtores de Leviatã. A iniciativa foi organizada pelo produtor independente Vjacheslav Smirnov, em reação à pirataria online.

Hackers colocaram no início do ano todos os filmes que foram indicados ao Oscar na internet. O longa de Zviáguintsev também foi parar na rede. O período de doações terminou nesta quinta-feira, quando Leviatã chegou aos cinemas russos. Os criadores do filme, no entanto, já anunciaram planos de doar o dinheiro para caridade.

Leia mais