1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Letônia vence festival europeu da canção com ritmo latino

Apontada como favorita, candidata da Alemanha termina em 21º lugar. Composições em inglês predominam em concurso que vale mais o show no palco do que a qualidade musical.

default

Marie Naumova foi despida no palco, cantando "I wanna", e conquistou os votos

Para o público alemão, foi um choque. Cotada não só na Alemanha como forte candidata à campeã do 47º Grand Prix da Canção, em Talinn (Estônia), na noite de sábado, a cantora cega Corinna May não conseguiu mais do que o 21º lugar com I can´t live without music, composta pelo veterano compositor para festivais Ralph Siegel.

Numa competição em que o resultado é decidido pelos telespectadores, através de votação por telefone, não podendo porém escolher a de seu próprio país, a canção alemã fracassou até na conquista da tradicional simpatia do público das nações vizinhas.

Da Áustria só ganhou um ponto, da Suíça dois e da Espanha três. Países que anos passados costumavam dar à Alemanha a nota máxima: 12. A melhor nota desta ano veio de Malta: quatro pontos. Rússia também deu três e Turquia, dois. Estônia e Romênia igualmente renderam um voto. Total: 17, contra 176 da campeã.

Show music – A derrota de Corinna May e também da dinamarquesa Marlene W. Mortensen, que amargou o 24º e último lugar, comprovam que, no festival europeu, deixou de ser mais importante a qualidade musical. Se outrora os intérpretes eram acompanhados por orquestras sinfônicas, atualmente a quase totalidade apresenta-se sem banda. Toda a parte instrumental é pré-gravada. Somente a parte vocal é ao vivo.

Acompanhando a tendência da música pop internacional, predominam as apresentações de grupos acompanhados de dançarinos. Em geral, os próprios intérpretes participam de coreografias bem ensaiadas. A grande maioria das canções foi defendida por mulheres jovens, em roupas decotadas e com maquiagem caprichada.

A vencedora – Não à toa venceu Marie Naumova (nome artístico Marie N), que representou a Letônia com I wanna, uma canção pop em ritmo latino. Penúltima candidata a subir ao palco, Marie entrou vestida de homem, com calça, paletó e chapéu, acompanhada por mais cinco dançarinos. Aos poucos, dois deles foram lhe tirando a roupa, deixando-a ao fim de vestido vermelho. A encenação arrancou entusiasmados aplausos da platéia.

Ao comentar o fracasso da candidata alemã, Marie Naumova não perdoou: "Os alemães deveriam talvez ser simplesmente mais calorosos no palco e não pensar apenas no prêmio."

A mais forte concorrente foi a cantora Ira Losco, de Malta, com 7th Wonder, que ficou 12 pontos atrás. Estônia e Grã-Bretanha dividiram o terceiro lugar. A presença de duas das três repúblicas bálticas da ex-União Soviética entre os mais cotados (não esquecer que a Estônia venceu o festival de 2001) permite concluir ainda que, se até os anos 80, elas eram o centro da música pop na antiga superpotência comunista, hoje parecem liderar o movimento de renovação do show music europeu.

Vale ainda a pena notar –

  • Das 24 músicas que disputaram o festival:apenas quatro não possuíam título em inglês: duas em francês (França e Suíça), uma em servo-croata (Bósnia-Herzegovina) e uma em turco (Turquia);
  • além destas, apenas mais quatro aproveitaram o idioma nacional em suas letras: Eslovênia, Israel, Macedônia e Espanha (sem falar na Grã-Bretanha e Malta que têm o inglês como língua oficial).
  • A Suécia foi representada por um trio de mulatas e a Eslovênia por um trio de travestis.
  • O resultado final coincidiu com a opção dos telespectadores alemães, que deram 12 pontos à Letônia, dez à Malta e oito à Grã-Bretanha.
  • Devido a más colocações em anos anteriores, países de tradição musical mundial – como Itália, Portugal e Irlanda – não participaram do festival em Tallinn.

Links externos