1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Letônia vai adotar o euro em 2014

Ministros das Finanças da União Europeia aprovam ingresso do pequeno país do Báltico na zona do euro. Letônia será o 18º membro da UE a adotar a moeda comum.

default

Valdis Dombrovskis

A União Europeia (UE) aprovou oficialmente nesta terça-feira (09/07) a adoção do euro pela Letônia, que vai se tornar, assim, o 18º membro da zona do euro, formada pelos países que usam a moeda comum europeia. O país do Báltico passará a usar a moeda em 1º de janeiro de 2014.

A decisão formal foi adotada pelos 28 ministros das Finanças da UE, reunidos em Bruxelas. A aprovação dos ministros encerra o processo de adesão. Antes, o Conselho Europeu (que reúne os chefes de Estado e de governo do bloco), o Parlamento Europeu e o Banco Central Europeu já haviam dado seu aval.

A adesão da Letônia à zona do euro havia sido proposta em 5 de junho pela Comissão Europeia, o órgão executivo da UE. O encontro desta terça-feira em Bruxelas já contou com a participação do primeiro-ministro letão, Valdis Dombrovskis.

Apesar de festejada pelo governo, a adoção do euro não conta com a simpatia de todos os cidadãos do país. Pesquisas recentes afirmam que apenas um terço dos dois milhões de habitantes apoiam a decisão, e muitos temem que a nova moeda traga consigo preços mais elevados.

Duramente atingida pela crise financeira de 2008, a Letônia necessitou de uma ajuda de 7,5 bilhões de euros da União Europeia e do FMI. O país adotou um plano de austeridade para se recuperar e agora ostenta índices de crescimento superiores a 5% ao ano, com baixo endividamento público.

A Letônia torna-se o sexto dos chamados novos Estados-membros (os 12 países que aderiram à União Europeia entre 2004 e 2007) a adotar o euro como moeda, depois de Eslovênia (2007), Chipre e Malta (2008), Eslováquia (2009) e Estônia (2011).

A zona do euro completa-se com Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal.

AS/lusa/afp/ap/dpa

Leia mais