1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Leste da Alemanha nas telas dos cinemas

"Halbe Treppe" faz sucesso na Berlinale, contando histórias de pessoas comuns. Diretor alemão comenta sua produção e suas impressões do mercado cinematográfico.

default

Andreas Dresen durante filmagem de "Die Polizistin" ao lado do câmera Michael Hammon

Com o foco direcionado ao leste alemão, o diretor berlinense Andreas Dresen revive a história nacional e descobre novos ângulos para a sua interpretação. Halbe Treppe (Meia Escada) a sua última produção, foi aplaudida na Berlinale durante a exibição dos filmes concorrentes ao Urso de Ouro. Em seu discurso, o diretor fala da importância de se relembrar o passado da Alemanha oriental.

Nascido em Gera, Dresen cresceu sob a influência do regime nazista e, portanto, se predispõe a contar as "histórias do mundo e das pessoas" que conhece. Por esse motivo, as suas produções são filmadas em cidades do leste, como Rostock ( Die Polizist – A Policial) e Frankfurt Oder ( Halbe Treppe). Ao se referir às diferentes realidades entre alemães do leste e do oeste, ele afirma: "Frankfurt Oder é um lugar onde os sonhos são diferentes dos de Frankfurt am Main, por exemplo".

Para o diretor alemão, reviver estas histórias nas telas dos cinemas é importante para se "entender que o nosso mundo não é perfeito e que, por isso, ainda há muitas questões a serem respondidas". Acredita, no entanto, que o mercado cinematógráfico é uma "selva, onde vence o mais forte" e, na maioria das vezes, investe-se mais na forma do que no conteúdo dos filmes. Apesar da concorrência poder comprometer as produções, ele afirma que esta ainda é "melhor na selva do que no zoológico".

Em Halbe Treppe, Dresen mantém-se fiel a seu estilo, contando a saga de dois casais em busca de um novo sentido a suas vidas. Cansados da monotonia do casamento, os parceiros começam a refletir sobre seu futuro, sendo que uma das moças acaba se envolvendo com o parceiro da outra. Inicia-se então, uma longa busca para uma reviravolta, um recomeço. Um tipo de conflito pessoal que, segundo o diretor, é comum aos alemães do leste.