1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Leste alemão está melhor do que se imagina

O relatório anual sobre a reunificação alemã revela que a situação no leste do país não está tão crítica quanto o ânimo da população local.

default

Ministro Manfred Stolpe apresentou o relatório

Os Estados do Leste da Alemanha estão em franca recuperação. Esta é a principal constatação do mais recente relatório sobre a reunificação alemã, divulgado nesta quarta-feira (22/09) pelo Ministério dos Transportes, responsável pela reconstrução do Leste do país. Pela primeira vez em muitos anos, o crescimento econômico na região superou o dos Estados do oeste.

Este dado positivo deveria servir de alento para a população do Leste alemão, que se encontra mergulhada num poço de pessimismo. O desânimo das pessoas não condiz com a real situação em que se encontram, salientou o ministro dos Transportes, Manfred Stolpe. Para ele, a falta de otimismo é reflexo da expectativa de que o nível de vida no Leste iria se igualar em poucos anos ao do ocidente. Este, entretanto, é um processo que demanda longo prazo.

Em termos econômicos, o Leste alemão registrou em 2003 um crescimento de 0,2% a mais do que o oeste. A crescente produtividade, a redução de custos salariais e o constante aumento da cota de exportações são aspectos que comprovam que o Leste está "de maneira geral no bom caminho", segundo Stolpe. O ministro reconheceu, porém, que poucos empregos novos são gerados na região.

Desafios e objetivos

O grande desafio continua sendo o combate ao desemprego e a luta contra a emigração. Para tanto, o governo pretende reformular sua política de fomento ao Leste alemão, seguindo a recomendação apresentada há cerca de cinco meses pela comissão do governo alemão, liderada pelo assessor Klaus von Dohnanyi.

O objetivo é oferecer incentivo maior à pesquisa, incrementar novos investimentos e consolidar mais empresas no Leste, sem descuidar das regiões mais carentes. Stolpe frisou que as diferenças dentro do Leste alemão devem ser minimizadas. "Nenhuma localidade ficará no esquecimento".

Processo contínuo

O relatório deste ano, embora não traga grandes novidades, é bastante otimista quanto ao futuro da região. "A reconstrução do Leste continuará sendo feita de forma conseqüente", afirmou Stolpe que acredita que o processo de reconstrução "de certo modo está pela metade". Uma formulação mais comedida que a do ano passado, quando o ministro garantiu que mais da metade do caminho para a equiparação entre leste e oeste da Alemanha já havia sido percorrido.

Valores falsos ou verdadeiros?

Alguns dias atrás, o diretor do Centro de Pesquisas sobre o Estado Comunista, na Universidade Livre de Berlim, Klaus Schröder, revelou que cerca de 1,5 trilhão de euros já foram gastos com o processo de unificação das duas Alemanhas.

Na apresentação do relatório, o ministro dos Transportes aproveitou para ressaltar que tal soma seria "um disparate e desprovida de seriedade". Segundo Stolpe, foram aplicados até agora cerca de 250 bilhões de euros no programa de reconstrução do Leste alemão.

Para os próximos quinze anos, o investimento, financiado com o dinheiro angariado através da taxa de solidariedade cobrada dos alemães do ocidente, será de aproximadamente 156 bilhões de euros.

Leia mais