1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Leonardo DiCaprio vai levar escândalo da Volks aos cinemas

Produtora do ator e estúdio Paramount compram direitos de filmagem de livro sobre a fraude nas emissões de poluentes por carros a diesel da montadora alemã.

A fraude nas emissões de poluentes por motores a diesel da Volkswagen gerou um escândalo de proporções épicas: em menos de um mês, as ações despencaram junto com a reputação da montadora alemã, e o até então todo-poderoso presidente Martin Winterkorn teve de deixar o cargo. Mas essa história renderia um filme em Hollywood?

O estúdio de cinema Paramount Pictures e a empresa de produção Appian Way, do ator americano Leonardo DiCaprio, acreditam que sim – eles acabaram de comprar os direitos de adaptação ao cinema do livro do jornalista Jack Ewing, do New York Times, sobre o tema.

O livro de Ewing ainda não saiu do papel, mas deve explorar de que forma a filosofia do "cada vez mais, melhor e mais rápido" levou a uma das maiores fraudes da história corporativa, que abalou todo o setor automobilístico.

O escândalo da Volkswagem estourou em 18 de setembro, quando a empresa foi acusada de ter enganado a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) ao instalar, em 11 milhões de carros a diesel vendidos nos EUA, um software que maquia em até 40% as emissões.

A Califórnia, estado onde o escândalo começou, tem uma das leis mais rígidas do país para a proteção do meio ambiente. A montadora admitiu a manipulação, que pode lhe render multas de até 18 bilhões de dólares, além dos custos com recalls.

Sobre o possível filme, nada foi divulgado. A imprensa internacional especula, porém, que DiCaprio deverá ser o produtor do longa. O ator é um dos principais ativistas ambientais de Hollywood e tem experiência em adaptar histórias reais para a telona.

Em 2013, ele produziu e estrelou o premiado filme O Lobo de Wall Street, sobre um corretor de títulos da bolsa americana que tem suas fraudes financeiras investigadas pelo FBI.

EK/afp/ap/rtr/dpa

Leia mais