Leo Apotheker deixa presidência da empresa de software SAP | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 08.02.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Leo Apotheker deixa presidência da empresa de software SAP

Executivo estava a menos de um ano sozinho no cargo. Empresa já anunciou composição da nova presidência, que volta a ser compartilhada.

default

Apotheker: desde 1988 na SAP

O executivo Leo Apotheker renunciou à presidência da empresa de software alemã SAP, segundo anunciou na noite deste domingo (08/02), em comunicado oficial, a empresa sediada em Walldorf.

De acordo com a nota, o conselho de administração da SAP e Apotheker chegaram a um acordo amigável sobre a não-prorrogação do contrato do administrador. Apotheker ocupava o cargo há menos de um ano.

Para o lugar de Apotheker foram escolhidos dois membros da diretoria da SAP: Jim Hagemann Snabe, responsável pela área de desenvolvimento de produtos, e Bill McDermott, chefe do setor de distribuição. Os dois ocuparão a presidência da empresa em igualdade de direitos.

O presidente do conselho de administração e fundador da SAP, Hasso Plattner, deverá acompanhá-los e "aconselhá-los em questões de tecnologia e desenvolvimento de produtos", diz a nota.

Apotheker entrou na SAP em 1988 e chegou à diretoria da empresa em 2002. Ele estava no topo da maior desenvolvedora de software da Europa desde abril de 2008 – no início ao lado do físico Henning Kagermann e desde maio de 2009 sozinho.

Apotheker havia apresentado há poucos dias os resultados do ano fiscal de 2009, influenciados negativamente pela crise financeira. O lucro líquido caiu 4%, para 1,789 bilhão de euros, e o faturamento com licenças e manutenção recuou 5%, para 8,2 bilhões de euros.

A SAP é especializada em programas aplicativos para gestão de negócios e tem como principal produto o software SAP ERP. A empresa alemã atua em mais de 50 países, incluindo o Brasil.

Motivos da mudança

Em uma entrevista por telefone à imprensa, Plattner não quis dar detalhes sobre os motivos para a troca de comando na SAP. Ele disse que não havia diferenças de estratégica entre ele e Apotheker. Plattner disse ter sido responsável pela condução de Apotheker ao comando e que é agora também responsável pela nova situação.

Mas fontes internas disseram à agência de notícias Reuters que não havia "sintonia" entre Apotheker e Plattner.

Nos últimos meses, Apotheker foi várias vezes apontado com responsável pelos atrasos no lançamento do novo software Business by Design. Além disso, durante a sua gestão ocorreram desavenças com clientes, motivadas por uma planejada alta nos custos de manutenção dos softwares.

Apotheker queria elevar os custos de manutenção em 5 pontos percentuais, chegando a 22% do valor da licença de uso do software. Por causa dos protestos dos clientes, a SAP acabou cedendo no final do ano e renunciando aos reajustes.

Os atrasos no lançamento do novo software e os desentendimentos com os clientes não podem ser atribuídos à Apotheker, disse Plattner. O fundador disse ser co-responsável pelo planejado aumento nas taxas de manutenção.

A única pista sobre as mudanças no comando vieram numa frase de Platter: "A reordenação no comando da empresa deve aproximar as inovações mercadológicas e as exigências dos clientes".

Na entrevista telefônica, Plattner também elogiou as experiências passadas da empresa com o duplo comando, que ele classificou como boas e que resultaram "nos melhores anos" da empresa.

Com o dinamarquês Snabe e o norte-americano McDermott, a SAP será pela primeira vez dirigida por executivos não alemães.

AS/dpa/rtr
Revisão: Simone Lopes

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados