1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Leipzig: a pequena Paris de Goethe

"... é uma pequena Paris e instrui sua gente", dizia Goethe a respeito da cidade onde estudou. Leipzig continua mantendo sua fama e atraindo visitantes de todos os cantos do mundo.

default

Edificação renascentista Alte Waage, construída em 1555

"Leipzig vem aí!" É esse o lema que sublinha, desde meados da década de 90, o pulo dado pela mais tradicional cidade da Saxônia em direção ao futuro. O propósito é fazer com que Leipzig retome a importância que teve no passado. Para isso, autoridades e população arregaçam as mangas, depositando grandes esperanças na mistura entre história e modernidade que a cidade representa.

Tudo pode ser visto a pé

As estratégias são visíveis a olho nu: quem chega de trem a Leipzig tem a impressão de estar em uma das estações ferroviárias mais belas e modernas da Europa. Dali, são apenas alguns passos rumo ao centro histórico, quase todo restaurado, com suas duas prefeituras. A antiga e a "nova", que mesmo assim já contabiliza cem anos.

Na avenida que circunda a cidade, há lojas e departamentos públicos, universidade e instituições culturais. Tudo com fácil acesso a pé. Leipzig, com meio milhão de habitantes, proporciona dessa forma as vantagens de uma grande cidade, sem no entanto trazer os incômodos que essas geralmente causam.

Feiras e livros

Messe Leipzig

Centro de Feiras de Leipzig

A universidade local foi fundada há quase 600 anos, sendo uma das mais antigas da Alemanha. Com 24 mil estudantes e um leque variadíssimo de cursos, ela passa hoje por seus melhores dias. Economia e Administração de Empresas são alguns dos cursos de graduação que entraram rapidamente para o cânon universitário local. Afinal, Leipzig é, entre outras coisas, a cidade das feiras.

Estas acontecem há mais de 800 anos e atraem visitantes de toda a Europa. As modernas instalações arquitetônicas do complexo Feira Nova (Neue Messe) oferecem uma infra-estrutura excelente para expositores e visitantes. Além dos diversos eventos industriais, a Feira do Livro de Leipzig goza de renome internacional.

Também aqui procura-se estabelecer uma ligação com a tradição que paira sobre a cidade: tanto a imprensa quanto a literatura têm um pé fincado no cenário local. Em Leipzig estão instaladas algumas das mais importantes editoras alemãs e aqui foi editado, há 350 anos atrás, o primeiro jornal diário de todo o mundo.

Coragem de enfrentar o poder

Demonstration in Leipzig gegen Krieg in Irak mit Thumbnail

Manifestantes nas ruas de Leipzig

Os habitantes da Saxônia são considerados comunicativos, tranqüilos, mas também ousados. Um exemplo da história recente: na Igreja de São Nicolau, situada no centro da cidade, começaram no segundo semestre de 1989 os chamados "protestos de segunda-feira", manifestações pacíficas contra o regime da ex-Alemanha Oriental.

Sem a ousadia dos habitantes da cidade de ir às ruas, é provável que o Muro de Berlim viesse a ruir apenas bem mais tarde. Outro aspecto peculiar à cidade é a ironia das pessoas, principalmente em relação ao poder: em Leipzig foram levadas ao palco, mesmo durante o regime comunista, incontáveis peças satíricas.

Lutero e Bach

Johann Sebastian Bach

Johann Sebastian Bach

Os que vivem em Leipzig demonstram um orgulho especial em relação à Igreja de São Tomás, de confissão luterana, onde há mais de 780 anos está sediado um dos mais antigos e mais conhecidos coros juvenis do mundo: os "Thomaner" (Tomasianos). E foi exatamente nesta igreja, no ano de 1539, que Martinho Lutero introduziu a Reforma protestante.

Pelo menos tão famosa quanto pelas mudanças provocadas por Lutero, a igreja se tornou conhecida, cem anos mais tarde, através da obra de Johann Sebastian Bach. O compositor atuou entre 1723 até sua morte em 1750 no coro da igreja, além de ter dado aulas na escola de música ligada à paróquia local.

Leia mais