Ladrão entra pela janela e rouba cinco quadros famosos em Paris | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 20.05.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Ladrão entra pela janela e rouba cinco quadros famosos em Paris

Imagens do circuito interno mostram homem mascarado pulando uma janela. As obras de Picasso, Matisse, Modigliani, Braque e Léger estão avaliadas em 100 milhões de euros.

default

Entrada do Museu de Arte Moderna de Paris

O Museu de Arte Moderna da Cidade de Paris abriu as portas aos visitantes com cinco obras importantes a menos nesta quinta-feira (20/05). O roubo de peças de Pablo Picasso, Henri Matisse, Amedeo Modigliani, Georges Braque e Fernand Léger só foi percebido momento antes da abertura do museu.

Embora inicialmente a polícia tenha divulgado que o valor dos quadros desaparecidos atingia meio milhão de euros, o vice-secretário de Cultura de Paris, Christophe Girard, afirmou que os cinco quadros juntos valem "menos de 100 milhões de euros". A obra Le pigeon aux petits pois , de Picasso, valeria cerca de 23 milhões de euros e La Pastorale , de Matisse, 15 milhões de euros.

As autoridades francesas já iniciaram uma investigação para apurar o caso. Segundo informações iniciais, as câmeras de vigilância do prédio mostram um homem mascarado invadindo o museu por uma janela. O sistema de segurança teria sido desligado. A polícia ainda não sabe dizer se havia outras pessoas envolvidas na ação.

Frankreich Kunstraub in Paris Museum Bilderrahmen

Policiais buscam pistas de quadros roubados

Pouca chance de comercialização

Além dos quadros de Matisse e Picasso, foram levados ainda L'olivier près de l'Estaque , de Braque , La femme à l'éventail , de Modigliani, e Nature morte aux chandeliers , de Léger. Pela importância dos artistas, este pode ter sido um dos maiores roubos de obras de arte da história.

Pierre Cornette de Saint-Cyr, diretor do Museu Palais de Tóquio, afirmou que quem roubou os quadros não conseguirá comercializá-los. "Todos os países do mundo sabem deles e nenhum colecionador é tão estúpido a ponto de comprar um quadro que não poderá mostrar a outro colecionador e que, em segundo lugar, possa levá-lo para a cadeia."

O Museu de Arte Moderna de Paris foi fundado em 1961 e as mais de 8 mil obras em seu acervo representam as mais diversas correntes artísticas do século 21.

NP/ lusa/apn/afp

Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais