″La La Land″ vence sete prêmios no Globo de Ouro | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 09.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

"La La Land" vence sete prêmios no Globo de Ouro

Musical dirigido por Damien Chazelle vence em todas as categorias para as quais foi indicado e é o filme mais premiado da história do Globo de Ouro. Em tom político, Meryl Streep faz discurso contra Trump.

O musical La La Land: cantando estações foi o maior vencedor da 74ª edição do Globo de Ouro, realizada neste domingo (09/01) em Los Angeles. Com sete troféus em sete indicações, o filme se tornou o mais premiado da história do festival, superando os seis prêmios de Um estranho no ninho, em 1975.

La La Land levou os troféus de melhor comédia ou musical; melhor diretor (Damien Chazelle); melhor ator de comédia e musical (Ryan Gosling); melhor atriz de comédia e musical (Emma Stone); melhor roteiro (Chazelle); melhor canção (City of stars) e melhor trilha sonora original (Justin Hurwitz). O longa estreia no Brasil no próximo dia 19 de janeiro.

"Sonhemos com mais urgência, vivamos fervorosamente e amemos mais profundamente", disse o produtor Mark Platt ao receber a estatueta de melhor filme.

O filme conta a história de Mia (Emma Stone), uma jovem aspirante à atriz, e do músico de jazz Sebastian (Ryan Gosling), que se conhecem em Los Angeles enquanto tentam concretizar sonhos em meio a frustrações. "Este filme é para os sonhadores", disse Stone, que recebeu o seu primeiro Globo de Ouro.

O vencedor na categoria de melhor drama foi Moonlight, primeira longa-metragem de traços biográficos de Barry Jenkins. Casey Affleck venceu na categoria de melhor ator de drama por Manchester à beira-mar, e Isabelle Huppert na mesma categoria feminina pelo desempenho em Elle, longa que ainda conquistou o prêmio de melhor filme estrangeiro.

Os prêmios de melhor atriz e ator coadjuvantes foram para Viola Davis (Fences) e Aaron Taylor-Johnson (Animais noturnos). Na televisão, The Crown venceu a categoria de melhor série dramática, e Atlanta, a de melhor série de comédia.

Meryl Streep

Meryl Streep: "Hollywood é feita de forasteiros e estrangeiros"

Discurso contra Trump

O ponto alto da cerimônia de premiação foi o discurso da atriz Meryl Streep, que apesar de não ter citado o nome do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, fez duras críticas ao posicionamento anti-imigração do futuro governante e afirmou que Hollywood deve muito aos estrangeiros.

Ao receber o prêmio Cecil B. DeMille pela sua carreira, Streep mencionou as diferentes origens dos atores presentes na cerimônia. "Hollywood está cheia de forasteiros e estrangeiros e, se você mandar todos eles embora, não vamos ter nada para assistir a não ser futebol e artes marciais, o que não é bem arte", afirmou.

Ao citar o episódio em que Trump zombou de um jornalista com deficiência do The New York Times, quando ainda era pré-candidato às eleições americanas, Streep foi direta. "Quando esse instinto de humilhar é incorporado por alguém poderoso no espaço público, isso se reflete na vida de todos, porque dá, de certa forma, permissão a outras pessoas para fazerem o mesmo", alertou. 

Streep também criticou a censura da imprensa e denunciou a "era do pós-factual", na qual notícias falsas se espalham pelas redes sociais.

Confira a lista completa dos ganhadores do Globo de Ouro em 2017:

Cinema

Melhor comédia ou musical: La La Land: cantando estações.

Melhor drama: Moonlight: sob a luz do luar.

Melhor ator de comédia ou musical: Ryan Gosling, por La La Land: cantando estações.

Melhor atriz de comédia ou musical: Emma Stone, por La La Land: cantando estações.

Melhor ator de drama: Casey Affleck, por Manchester à beira-mar.

Melhor atriz de drama: Isabelle Huppert, por Elle.

Melhor ator coadjuvante: Aaaron Taylor-Johnson, por Animais noturnos.

Melhor atriz coadjuvante: Viola Davis, por Fences.

Melhor diretor: Damien Chazelle, por La La Land: cantando estações.

Melhor roteiro: Damien Chazelle, por La La Land: cantando estações.

Melhor trilha sonora Original: Justin Hurwitz, por La La Land: cantando estações.

Melhor canção: City of Stars, de Justin Hurwitz (La La Land: cantando estações).

Melhor animação: Zootopia, de Byron Howard e Rich Moore.

Melhor filme estrangeiro: Elle (França), de Paul Verhoeven.

Televisão

Melhor drama: The crown.

Melhor série de comédia ou musical: Atlanta.

Melhor minissérie ou telefilme: The People v. O.J. Simpson: American Crime Story.

Melhor ator de série de drama: Billy Bob Thornton, por Goliath.

Melhor atriz de série de drama: Claire Foy, por The crown.

Melhor atriz de comédia ou musical: Tracee Ellis Ross, por black-ish.

Melhor ator de comédia ou musical: Donald Glover, por Atlanta.

Melhor atriz de minissérie ou telefilme: Sarah Paulson, por The People v. O.J. Simpson: American Crime Story.

Melhor ator de minissérie ou telefilme: Tom Hiddleston, por The night manager.

Melhor ator coadjuvante de série televisiva: Hugh Laurie, porThe night manager.

Melhor atriz coadjuvante de série televisiva: Olivia Colman, por The night manager.

KG/efe/lusa/ap

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados