Líderes europeus veem em Obama novas chances de cooperação | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.01.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Líderes europeus veem em Obama novas chances de cooperação

Chefes de Estado e de governo europeus veem em Obama novas chances de cooperação para resolver problemas mundiais. Entre eles o presidente da Alemanha, Horst Köhler, que convidou Barack Obama para uma visita.

default

Obama prestou juramento ao lado da família

No telegrama de cumprimentos enviado a Washington nesta terça-feira (20/01), o presidente da Alemanha, Horst Köhler, escreveu ao novo presidente Barack Obama que seu país está aberto para uma política internacional nova e cooperativa. Paz e liberdade, bem-estar e meio ambiente só podem ser protegidos e assegurados pela responsabilidade coletiva, escreveu o presidente alemão.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, disse esperar uma melhor cooperação internacional do novo presidente dos Estados Unidos. "Espero que nossa colaboração seja caracterizada por escutar um ao outro e tomar decisões com base no princípio de que um país sozinho não pode resolver os problemas do mundo. É nesse espírito que quero encontrá-lo", disse Merkel à emissora de televisão alemã ARD.

Na opinião de Karsten Voigt, coordenador das relações Alemanha-Estados Unidos junto ao governo alemão, a mudança de governo nos EUA é "uma grande chance que deve ser aproveitada".

Voigt citou dois aspectos que chamaram sua atenção no discurso de posse de Obama: "Diferentemente de Bush, Obama não destacou que os Estados Unidos são uma potência militar, mas falou do potencial dos EUA em resolver conflitos. Por outro lado, ele sempre falou 'nós' , no coletivo, e nunca na primeira pessoa".

der französische Präsident Nicolas Sarkozy Armutsbekämpfung

Presidente francês Nicolas Sarkozy

Em entrevista à emissora de televisão alemã N24, Voigt disse que as prioridades da cooperação internacional com o novo governo norte-americano deveriam ser a questão ambiental, os desarmamentos nuclear e convencional, além do diálogo com o Irã e a Síria.

Novo capítulo na história

Em sua mensagem a Obama, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, ofereceu trabalhar "de mãos dadas" para vencer os "enormes desafios" mundiais. Já o premiê britânico, Gordon Brown, considera Obama "um novo capítulo na história americana e mundial". Não somente por Obama ser o primeiro presidente negro, como também por estar decidido a resolver os problemas do mundo, destacou Brown.

O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, declarou que a posse alimenta a esperança de que o diálogo e a paz passarão a ter um papel mais importante em futuros conflitos internacionais.

O chefe do governo italiano, Silvio Berlusconi, conclamou a cooperação de Obama para enfrentar os atuais desafios. As prioridades, segundo Berlusconi, são a crise financeira mundial e as situações no Oriente Médio e no Afeganistão.

Expectativas europeias

Belgien EU Konferenz in Brüssel zur Integration von Sinti und Roma Barroso

Durão Barroso, presidente da Comissão Européia

Também a União Europeia (UE) espera uma maior cooperação com os Estados Unidos nesses campos. "O trabalho conjunto é um dos melhores caminhos para atender às necessidades e esperanças das pessoas dos dois lados do Atlântico", ressaltou a presidência tcheca do bloco.

Para o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, a mudança de governo é uma grande mudança para os Estados Unidos e possivelmente para o resto do mundo.

O alto representante de Política Externa e de Segurança Comum da (UE), Javier Solana, disse esperar que a chegada de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos "abra uma perspectiva mais multilateral, mais otimista e muito mais dinâmica" em prol da solução dos problemas de um mundo globalizado.

Leia mais