1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Líder do Pegida renuncia após foto como Hitler

Lutz Bachmann se afasta do movimento "anti-islamização" após selfie postada no Facebook, em que usa o mesmo bigode do antigo líder nazista, causar furor na imprensa alemã. Ele alega ter sido apenas "uma piada".

default

Lutz Bachmann (esq.) e cofundadora do Pegida, Kathirn Oertel, em coletiva de imprensa na terça-feira

Após sofrer críticas devido a uma foto em que usa um bigode e um penteado semelhantes aos de Adolf Hitler, o fundador do Pegida (sigla em alemão para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente"), Lutz Bachmann, renunciou a sua posição no movimento.

"Sim, posso confirmar que Lutz Bachmann ofereceu a sua renúncia e ela foi aceita", disse a cofundadora do Pegida, Kathrin Oertel, acrescentando que o movimento vai continuar.

A foto de Lutz Bachmann, publicada no Facebook, foi

defendida por ele como "uma piada"

, de acordo com o jornal Bild.

"Eu tirei a foto no cabeleireiro, por ocasião do lançamento do livro Ele está de volta", disse. No bestseller de Timur Vermes, lançado em 2012, Hitler retorna a Berlim nos dias de hoje. "De tempos em tempos é preciso tirar sarro de si mesmo", afirma.

A foto, que ganhou destaque na mídia alemã nesta quarta-feira, foi postada pelo próprio Bachmann em outubro passado, quando as manifestações do Pegida tiveram início e bem antes do fundador de o movimento se tornar publicamente conhecido.

Lutz Bachmann als Hitler

Jornais alemães dão destaque à foto de Lutz Bachmann postada no Facebook

Além da selfie de Bachmann, comentários feitos no nome do líder no Facebook também causaram alvoroço. Em setembro do ano passado, ele teria ofendido refugiados e requerentes de asilo na rede social. Bachmann nega ter postado os comentários.

Membros do Pegida – que afirmam que o movimento não é racista, mas preocupado com a influência do islã na Alemanha – também reconhecem que Bachmann pode ter ido longe demais com a foto.

Opositores do Pegida afirmam que a foto de seu líder mostra a verdadeira face do movimento, que consideram racista. "Qualquer um envolvido na política que se vista como Hitler ou é um idiota ou é nazista", disse o vice-chanceler federal Sigmar Gabriel.

Bachmann está sob proteção policial depois de ter recebido ameaças de morte, supostamente de radicais islâmicos. As ameaças foram feitas antes da foto que remete a Hitler vir à tona e fizeram com que as manifestações do Pegida e contra o movimento fossem

canceladas em Dresden na segunda-feira

.

PV/afp/dpa

Leia mais