1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Klose finalmente convence os alemães

Apesar do alto rendimento desde que começou na seleção, somente agora o atacante parece ganhar respeito da crônica esportiva. Beckenbauer compara novo herói aos maiores artilheiros da história do futebol alemão.

default

Klose (branco) não teve problemas para se impor à defesa saudita

Nunca um atacante alemão estreou tão bem numa Copa do Mundo como Miroslav Klose, neste sábado, no Japão. Em sua primeira partida num mundial, o atacante de quase 24 anos fez logo três gols – todos de cabeça. Na Seleção Alemã há pouco mais de um ano e dois meses, o artilheiro já soma 11 gols em 13 partidas e começa a ser comparado a velhos ídolos do futebol alemão. E marcar três gols contra a Arábia Saudita não foi um episódio isolado na carreira do centroavante. Este ano, ele já fizera o mesmo nos amistosos contra Israel (7x1) e Áustria (6x2).

"Ele salta incrivelmente alto, tal como Uwe Seeler. Onze gols em 13 jogos. Parece um novo Gerd Müller", elogiou ninguém menos que o Kaiser Franz Beckenbauer. Tanto Seeler quanto Müller foram contemporâneos do hoje presidente do Bayern de Munique e do Comitê Organizador da Copa de 2006. Considerado o maior artilheiro alemão de todos os tempos, Seeler jogou quatro mundiais (1958 a 1970). Já Müller atuou nos de 1970 e 1974. Na primeira vez, sagrou-se artilheiro da competição, com 10 gols. Na segunda, tornou-se campeão ao lado do capitão Beckenbauer.

Os jornalistas alemães só agora parecem enxergar Klose como a verdadeira grande esperança de gols do país. Quando o rapaz nascido na Polônia começou a despontar no Kaiserslautern há menos de dois anos, houve quem o considerasse com 22 anos ainda "muito novo" para o selecionado nacional.

Nem mesmo o fato de ter salvado a Alemanha de um vexame nas Eliminatórias em sua estréia no time de Rudi Völler – marcou o gol de desempate contra a Albânia, em Leverkusen, a dois minutos do apito final –, fez com o que a grande imprensa se dedicasse mais a ele. Os cronistas esportivos – e por algum tempo também Völler – seguiram apostando em Jancker e Bierhoff como os melhores nomes para o ataque do selecionado.

Somente na reta final de preparação para a copa, Klose conquistou a posição de titular. E agora lidera a artilharia da Copa do Mundo, tendo feito num só jogo a metade de gols marcados pelos goleadores dos últimos mundiais, desde 1978. Desde a Copa da Argentina, bastaram seis gols para sagrar-se artilheiro da competição.

O novo herói alemão mantém porém a modéstia, uma de suas características. Ele não quer nem ouvir falar em briga pela artilharia. "Sempre tive o sonho de jogar numa Copa do Mundo e ter um papel importante. Consegui isto", disse Klose, acrescentando: "Mas não vou deixar isto subir à minha cabeça. Além disto, tenho de agradecer à equipe. Sem ela não teria conseguido."

Conhecido por comemorar seus gols alegremente com um salto mortal, o artilheiro alemão só recorreu à acrobacia neste sábado ao marcar pela segunda vez contra os árabes. "Fiz isto de propósito. Quero manter meus pés no chão, apesar de ter marcado três gols", justificou. No primeiro, festejou de forma explosiva. "Tirei um enorme peso de mim", revelou.

Leia mais