1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Kiev e Moscou chegam a acordo sobre gás

A menos de dois meses do início do inverno, russos aceitam, sob mediação da União Europeia, retomar fornecimento ao vizinho, que foi interrompido em meio ao conflito no leste ucraniano.

Após meses de negociações, representantes de Kiev, Moscou e União Europeia chegaram nesta quinta-feira (30/10) a um entendimento para garantir que os ucranianos recebam gás dos russos durante o inverno.

O entendimento consiste de dois acordos. O primeiro foi assinado pelo ministro de Energia da Rússia, Aleksandr Novak, da Ucrânia, Yuri Prodan, e pelo comissário de Energia da UE, Günther Oettinger. Ele garante a entrega de gás russo a Kiev até março de 2015.

O segundo foi firmado paralelamente pelos executivos da gigante russa Gazprom e da ucraniana Naftogaz. Ele é uma atualização do contrato de abastecimento de gás que Rússia e Ucrânia selaram em 2009.

"Não há mais motivo para que os cidadãos na Europa passem frio neste inverno", declarou o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

Segundo Oettinger, ambas as partes acordaram que a dívida da Ucrânia com a Rússia pelas importações de gás chega a 3,1 bilhões de dólares e que Kiev a pagará em duas parcelas.

Quando a Ucrânia realizar os pagamentos dívida acumulada, a Rússia se compromete a diminuir em de 485 para 385 dólares por cada mil metros cúbicos o preço do gás até o final de março.

Oettinger explicou que a medida será adotada por meio de um decreto do governo russo e que Kiev contará com o apoio da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para pagar as futuras contas.

Moscou congelou o fornecimento de gás natural à Ucrânia em junho passado, em meio a uma disputa sobre pagamentos agravada pelo conflito entre Kiev e grupos separatistas pró-Rússia.

RPR/dpa/rtr

Leia mais