1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Kerry diz que acordo com Irã está mais próximo

Secretário americano de Estado admite, porém, que algumas questões cruciais ainda estão em aberto. Durante conferência da ONU, países apelam por fim das armas nucleares no mundo.

As seis maiores potências mundiais estão "mais próximas do que nunca" de chegar a um acordo nuclear com o Irã, afirmou nesta segunda-feira (27/04) o secretário americano de Estado, John Kerry.

"Estamos mais próximos do acordo bom e abrangente que estamos buscando, e, se chegarmos lá, o mundo inteiro ficará mais seguro", afirmou Kerry durante a Conferência de Revisão do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares da ONU, em Nova York . Ele ressaltou, no entanto, que "o trabalho duro ainda está longe do fim", e que algumas questões "cruciais" ainda permanecem em aberto.

Logo após o discurso, Kerry reuniu-se com o ministro iraniano do Exterior, Mohammed Javad Zarif, na casa do embaixador do Irã nos EUA para debater o tema. Esta foi a primeira vez que os dois se encontraram pessoalmente desde a maratona de negociações em Lausanne, na Suíça, no mês passado. Um acordo final deve ser alinhavado até o dia 30 de junho.

Apelo por fim de armas nucleares

Durante a abertura da conferência da ONU, que deve durar um mês, diversos países apelaram pela eliminação completa de armas nucleares, ressaltando uma tendência preocupante no aumento das capacidades nucleares de alguns países.

Realizado a cada cinco anos, o encontro tem como objetivo revisar as bases do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares (TNP), assinado em 1970, que tem como objetivo evitar a disseminação de bombas atômicas e, eventualmente, alcançar um completo desarmamento nuclear.

O subsecretário-geral da ONU, Jan Eliasson, ressaltou que, apesar de a comunidade internacional ter conseguido dar importantes passos para reduzir a quantidade de armas nucleares entre 1990 e 2010, o processo estagnou nos últimos cinco anos.

"É especialmente preocupante o fato de os últimos desenvolvimentos indicarem que a tendência em direção a zero armas nucleares está se revertendo. Isso é uma regressão para o mundo", afirmou.

Representando os 120 estados do Movimento dos Países Não Alinhados, o ministro iraniano do Exterior defendeu que não haja limites para a transferência de tecnologia nuclear e know-how entre os signatários do TNP. Zarif apelou ainda a países com posse de armas nucleares que descartem eventuais planos para modernizar ou mesmo estender a vida de seus arsenais.

MSB/dpa/rtr

Leia mais