Justiça polonesa condena três dos envolvidos em roubo em Auschwitz | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.03.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Justiça polonesa condena três dos envolvidos em roubo em Auschwitz

Sueco que planejou o crime deverá ser extraditado para a Polônia. Ele a fundador da Frente Nacional Socialista, de extrema direita. Outros dois poloneses serão julgados.

default

Letreiro na entrada do campo de Auschwitz

A Justiça polonesa condenou nesta quinta-feira (18/03) três dos cinco homens envolvidos no roubo do letreiro " Arbeit macht frei" (O trabalho liberta). Ele fica sobre o portão de entrada do antigo campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau, atualmente transformado em museu. Além de cumprir dois anos e meio de prisão, o trio também terá que pagar uma multa de 2.580 euros pelo crime.

O roubo ocorreu em 18 de dezembro do ano passado. A polícia polonesa recuperou o letreiro de cinco metros três dias mais tarde, partido em três pedaços. O símbolo retornou ao museu de Auschwitz em janeiro.

Outros dois poloneses envolvidos ainda serão julgados. Acredita-se que eles mantinham contato com o sueco Anders Högström, que elaborou o crime. Na semana passada, a Justiça sueca autorizou a extradição de Högström para a Polônia. Ele fundou em 1994 o movimento de extrema direita Frente Nacional Socialista, e foi seu líder durante cinco anos.

O roubo do cínico letreiro causara indignação na Alemanha, Polônia e nas comunidades judaicas de todo o mundo. No campo de concentração de Auschwitz morreram mais de 1 milhão de pessoas, a maioria judeus, entre 1940 e 1945.

NP/afp/dpa
Revisão: Augusto Valente

Leia mais