Justiça ordena suspensão da greve da Lufthansa | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 09.09.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Justiça ordena suspensão da greve da Lufthansa

Tribunal Regional do Trabalho considera ilegal a paralisação de dois dias dos pilotos da companhia aérea alemã. Empresa mantém cancelamentos previstos para esta quarta-feira, afetando 140 mil passageiros.

O Tribunal Regional do Trabalho do Estado de Hesse declarou a greve dos pilotos da companhia aérea Lufthansa ilegal e determinou que fosse suspensa nesta quarta-feira (09/09). É a primeira vez que houve esse tipo de determinação em 18 meses de disputas entre direção da empresa e sindicato.

A determinação derrubou as decisões do dia anterior dos Tribunais do Trabalho de Frankfurt e de Colônia, que haviam considerado a paralisação adequada.

O Tribunal Regional de Hesse acatou ao apelo da Lufthansa contra os dois dias de greve estabelecidos pelos pilotos, sob o argumento de que a ação coletiva era contra a estratégia de reestruturação da empresa, que se trata de uma questão empresarial.

Segundo a Lufthansa, mil voos foram cancelados e 140 mil passageiros afetados neste segundo dia de greve. Apesar da suspensão da paralisação após a decisão judicial, a companhia anunciou que manteria o cronograma de cancelamentos nesta quarta-feira.

A empresa informou em Frankfurt que o plano será mantido "para a segurança de planejamento" dos passageiros. A partir de quinta-feira, os voos voltarão a operar normalmente.

A disputa entre a direção da Lufthansa e o sindicato de pilotos Cockpit começou em abril de 2014. Segundo os pilotos, as demandas sobre a reforma no sistema de aposentadoria da empresa não foram cumpridas. Os funcionários são contra o aumento do limite de idade para se aposentar. A Lufthansa quer passar de 55 para 65 anos a idade mínima para a aposentadoria especial, que garante 60% do salário até a idade legal de aposentadoria.

MP/afp/ap/efe

Leia mais