Justiça holandesa barra volta ao mundo de jovem velejadora | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 28.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Justiça holandesa barra volta ao mundo de jovem velejadora

Laura Dekker ficará dois meses sob tutela das autoridades holandesas. A velejadora de 13 anos tem o apoio dos pais para navegar sozinha pelo mundo, numa viagem que duraria dois anos.

default

Laura Dekker, 13 anos

A holandesa Laura Dekker, de 13 anos, que queria dar a volta ao mundo sozinha num barco a vela, ficará dois meses sob custódia das autoridades holandesas. A decisão da Justiça da Holanda foi proferida nesta sexta-feira (28/08).

Os pais da garota perderam a tutela da filha temporariamente. Nos próximos dois meses, Laura será avaliada por um psicólogo, que irá julgar a capacidade da jovem velejadora para lidar com a carga física e psíquica de dois anos de viagem solitária.

O plano de Laura era se tornar a pessoa mais jovem a fazer uma viagem ao redor do mundo sozinha no barco. Em apoio à filha, há alguns meses Dick Dekker pediu às autoridades locais que Laura fosse autorizada a perder dois anos de aulas.

O mar no sangue

Como o pedido foi negado e os pais disseram que continuariam estimulando a filha a seguir o projeto, o serviço de proteção aos jovens iniciou uma investigação e entrou com uma ação de emergência contra os pais.

Segundo os assistentes sociais, Laura é muito nova para suportar os perigos do mar. Seu pedido original, de a tutela da jovem fosse retirada definitivamente, foi indeferido pela corte. Alguns psicólogos acreditam que o isolamento realmente provocaria danos nessa fase importante de desenvolvimento da garota.

Dick Dekker é velejador experiente, e defende que Laura estaria apta a fazer a viagem. Com nacionalidade holandesa, alemã e neozelandesa, passou seus primeiros quatro anos de vida a bordo do barco do pai. Ambos moram num barco próximo a Wijk bij Duurstede, no centro da Holanda.

NP/ap/dpa
Revisão: Augusto Valente