Justiça bloqueia bens de empresa que transmitiu Rio 2016 | Rio 2016 | DW | 19.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Rio 2016

Justiça bloqueia bens de empresa que transmitiu Rio 2016

Medida visa garantir compensação a funcionários contratados pela OBS. Denúncias apuradas por procuradores teriam revelado que contratados da empresa eram obrigados a cumprir jornadas de trabalho abusivas.

A Justiça do Rio de Janeiro bloqueou nesta segunda-feira (19/09) os bens da empresa responsável pela transmissão dos Jogos Olímpicos. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª Região deferiu a ação após denúncias apuradas por procuradores do trabalho no local do evento.

O bloqueio dos bens da OBS (Olympic Broadcast Services) no Brasil visa garantir a compensação material por possíveis danos a funcionários contratados pela empresa. Segundo o TRT, profissionais admitidos pela empresa teriam sido obrigados a cumprir jornadas abusivas, trabalhando mais de dez horas por dia.

A OBS foi responsável pela produção das imagens e áudios da Rio 2016 que foram entregue às emissoras de rádio e televisão que possuíam direito de transmissão. No Brasil, a empresa contratou mais de 2 mil profissionais através de contratos de pessoas jurídica e por prestação de serviço.

Entre os bens retidos, estão caminhões, equipamentos de transmissão de imagens e sons e móveis usados nas arenas olímpicas. A empresa teve também o dinheiro mantido em instituições financeiras brasileiras bloqueado.

A OBS foi criada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em 2001 e sua sede fica na Espanha. No Brasil, ela atuava com um CNPJ temporário. A empresa entrou com um mandado de segurança contra a decisão judicial, mas o pedido foi indeferido pela Justiça que manteve o bloqueio dos bens.

CN/ap/abr

Leia mais