1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Jeb Bush anuncia pré-candidatura à Casa Branca

Filho e irmão de ex-presidentes dos EUA, ele é o 11º candidato republicano para eleição presidencial de 2016. O ex-governador da Flórida pretende atrair eleitores hispânicos e promete tirar Washington da "estagnação".

O ex-governador da Flórida, Jeb Bush, entregou à Comissão Eleitoral Federal dos Estados Unidos a papelada necessária para concorrer à nomeação do candidato republicano para a eleição presidencial de 2016, publicou o jornal americano Wall Street Journal, nesta segunda-feira (15/06). Hora depois, ele oficializou a candidatura em discurso numa universidade em Miami.

"Eu sou candidato à presidência dos Estados Unidos", disse Bush, acrescentando que o país está em um "curso muito ruim" e que ele decidiu querer mudar isso.

Bush, de 62 anos, é filho e irmão de ex-presidentes americanos – George Bush e George W. Bush, respectivamente – realizou o anúncio formal no Miami Dade College. Ele se junta a outros dez republicanos, que já anunciaram a intenção de concorrer pelo comando da Casa Branca – entre eles, o senador da Flórida,

Marco Rubio

.

"Vamos assumir novamente o comando do nosso futuro neste país", disse Bush, em seu discurso. "Irei concorrer com coração e irei concorrer para ganhar." George Bush e George W. Bush não estiveram presentes no anúncio – apenas a mãe, Barbara Bush, de 90 anos, e a própria família de Jeb. O ex-governador terá o trabalho de convencer republicanos que têm dúvidas sobre eleger um terceiro presidente com o sobrenome Bush. Pai e irmão deixaram a Casa Branca com baixo índice de aprovação de seus governos.

O ex-governador se apresentou como uma figura anti-Washington com um espírito pró-ativo, pronto para aplicar princípios conservadores, que ele diz ter usado na Flórida. Bush também culpou o atual governo pelos problemas nos Estados Unidos e pleiteou pela oportunidade para corrigir uma Washington disfuncional e "fazer com que eventos no mundo voltem a seguir seus caminhos".

Ataque a Washington e ao governo democrata

"Tiraremos Washington – a capital estática deste país dinâmico – do negócio de causar problemas", afirmou Bush. "Vamos retornar ao lado da livre iniciativa e de pessoas livres. Sei que podemos corrigir isso, porque eu o fiz. Não estou ansioso para ver como seriam mais quatro anos sob esse tipo de liderança", disse, cutucando novamente a administração democrata de Barack Obama.

Bush acusou os democratas de serem responsáveis por, segundo ele, "a mais lenta recuperação econômica da história, o maior aumento da dívida, um enorme aumento de impostos sobre a classe média e o estúpido rebaixamento [do diálogo político] das Forças Armadas, que foram por gerações tomadores de decisões".

Assim como em seu discurso em Miami, Bush dirá em suas paradas subsequentes da campanha eleitoral, em New Hampshire, Iowa e Carolina do Sul, que tornará como prioridades de governo o crescimento de 4% da economia e a criação de cerca de 19 milhões de empregos.

Bush, que é fluente em espanhol, está tentando atrair os eleitores hispânicos, que, segundo especialistas, são a chave para uma vitória do Partido Republicano na corrida pela Casa Branca. De fato, Bush, tem realizado uma campanha por seis meses, levantando dezenas de milhões de dólares e

aumentando seu perfil internacional com uma viagem à Europa

, realizada na semana passada.

Pré-candidatos republicanos para 2016:

- Jeb Bush, ex-governador da Flórida
- Ben Carson, neurocirurgião aposentado de Detroit
- Ted Cruz, Senador do Texas
- Carly Fiorina, ex-executiva-chefe da Hewlett-Packard
- Lindsey Graham, senador da Carolina do Sul
- Mike Huckabee, ex-governador do Arkansas
- George Pataki, ex-governador de Nova York
- Rand Paul, senador de Kentucky
- Rick Perry, ex-governador do Texas
- Marco Rubio, senador da Flórida
- Rick Santorum, ex-senador da Pensilvânia

PV/rtr/afp/dpa/ap

Leia mais