1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Javier Solana recebe prêmio por seu engajamento pela Europa

Chefe da diplomacia da UE recebe medalha do Prêmio Carlos Magno em Aachen. O espanhol de 64 anos foi homenageado por representar a busca da Europa de uma só voz na política externa e por seus esforços pela paz mundial.

default

Solana acena ao público em Aachen, ao lado do rei Juan Carlos

O encarregado de segurança e de política externa da União Européia (UE), Javier Solana, foi homenageado nesta quinta-feira (17/05) na cidade de Aachen, com o tradicional Prêmio Carlos Magno, por serviços prestados ao ideário europeu.

O espanhol de 64 anos de idade foi homenageado pela obra de sua vida, especialmente pela pacificação nos Bálcãs e a ampliação da União Européia para o Leste da Europa. O discurso em homenagem a Solana foi pronunciado pelo premiado do ano passado, Jean-Claude Juncker.

Javier Solana de Madariaga, madrileno nascido em 14 de julho de 1942, é secretário-geral do Conselho da União Européia e encarregado de segurança e de política externa da União Européia. Ele é o quarto espanhol a receber o Prêmio Carlos Magno.

Javier Solana in Gaza

Solana incansável. Em Gaza....

O primeiro fora o diplomata e escritor Salvador de Madariaga, em 1973, ainda nos tempos da ditadura de Francisco Franco. Nove anos mais tarde, o agraciado foi o rei Juan Carlos. Como a Espanha nesta época ainda não fazia parte da então Comunidade Européia (CE), a homenagem foi uma espécie de convite à filiação. Em 1993, o prêmio, concedido pela cidade de Aachen, foi dado ao socialista Felipe González, por ter conduzido seu país à CE.

Pouco poder, mas muito peso diplomático

Expulso da Universidade de Madri em 1963 por ter participado de protestos contra a ditadura do general Francisco Franco, Javier Solana freqüentou outras universidades européias e formou-se em Física na Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos. Regressou à Espanha em 1977, para se tornar deputado socialista.

Tornou-se ministro da Cultura em 1982, no governo socialista de Felipe González. Dez anos depois, González o nomeou para a pasta das Relações Exteriores. Em 1995, assumiu a secretaria-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Javier Solana in Darfur

...ou em Darfur

Há oito anos como encarregado para a política externa da UE, Solana continua sendo uma pessoa simpática e atenciosa, que gosta de apertar mãos e distribuir abraços. Hoje, no entanto, caminha um pouco mais curvado e seus cabelos ficaram grisalhos. Mas o olhar dócil do espanhol que fala três idiomas continua inalterado.

Na maior parte do tempo, Javier Solana está viajando por regiões em crise: seja nos Bálcãs, Irã, Iraque, Sudão, Congo ou Oriente Médio. Tudo por "sua" Europa. Inicialmente como ministro espanhol do Exterior, depois na Otan, e agora como o representante da política externa da UE. Ele tem grande importância diplomática, mas pouco poder. Tudo o que Solana diz, precisa ser aprovado pelos 27 chefes de Estado e de governo dos membros da União Européia.Criado em 1950, o Prêmio Carlos Magno é uma das maiores distinções do continente. É concedido a personalidades e instituições que se engajam pela causa européia. Da lista de laureados constam os ex-chanceleres alemães Konrad Adenauer (1954) e Helmut Kohl (1988), o rei Juan Carlos de Espanha (1982), o primeiro- ministro britânico Tony Blair (1999) e o ex-presidente norte-americano Bill Clinton (2000). Em 2004, foi atribuída uma medalha do Prêmio Carlos Magno a título excepcional ao Papa João Paulo 2º.

Leia mais