1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Jato europeu para céus do mundo

Primeiro Eurofighter deixa linha de produção na Baviera. Avião militar desenvolvido em conjunto pela Alemanha, Grã-Bretanha, Espanha e Itália é projeto mais ambicioso das Forças Armadas alemãs.

default

Eurofighter substituirá Phantom, Tornado e Mig 29 na força aérea alemã

Após muitas polêmicas, panes, atrasos e mais de 20 anos de estudos e projetos, foi apresentado na segunda-feira (30), na fábrica no sul da Alemanha, o primeiro avião de caça europeu – European Fighter Aircraft (EFA).

Trata-se de um programa conjunto, envolvendo empresas e os governos da Alemanha, Grã-Bretanha, Itália e Espanha. Este programa tem sede no sul da Alemanha e é desenvolvido pelo consórcio EADS, ao qual pertencem a Daimler-Benz Aerospace (Dasa), a britânica Aerospace, a espanhola CASA e a italiana Alenia. O objetivo das Forças Armadas dos diversos países é empregar os aviões no próximos 30 anos.


Europeus reconquistam supremacia

O ministro alemão da Defesa, Peter Struck, destacou a dimensão do projeto, salientando que de forma nenhuma se trata de um "objeto de prestígio", mas de um marco histórico não só para a Força Aérea alemã (Luftwaffe). O supermoderno avião de combate substituirá os antiquados Phantom e Tornado, assim como os Mig 29 herdados da Alemanha Oriental.

"O novo jato irá incrementar o potencial militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte e da União Européia, aumentará consideravelmente nossa capacidade aérea e nos permitirá reconquistar a supremacia nesta área", assegurou o ministro social-democrata.

Eurofighter Typenzulassung Peter Struck

Peter Struck, da Alemanha, com o general espanhol Emilio Poy-Guerrero e os ministros da Defesa da Itália, Phillipo Berselli, e da Espanha, Victor da Silva

Os quatro países integrantes do projeto encomendaram 620 aeronaves, das quais 180 ficarão na Alemanha e 232 irão para a Grã-Bretanha. A Itália encomendou 121 jatos e a Espanha, 87. Na trilha de tornar-se o "avião da defesa européia", como sonham, seus construtores esperam agora encomendas dos demais países da comunidade dos 15. Até agora, apenas a Grécia e a Áustria atenderam a esta expectativa, com 60 e 18 caças encomendados, respectivamente.

Primeiras missões em três anos

Seu preço é de 80 milhões de euros, sendo que a fase de desenvolvimento custou quatro bilhões de euros. Para a Alemanha, o custo total até a entrega do último avião, provavelmente em 2015, é estimado pelo ministro Struck em 18 bilhões de euros. Motivo de grande polêmica no Parlamento, a encomenda dos 18 últimos foi assinada em julho último, mas o contrato só entra em vigor após a oficialização do orçamento federal, provavelmente em agosto próximo.

O primeiro Eurofighter a deixar a linha de montagem foi entregue à Bundeswehr (Forças Armadas alemãs) com quase um ano de atraso. Até o final de 2003, serão iniciados os treinamentos dos pilotos. Devido ao longo período de treinamento para os pilotos, as primeiras missões alemãs estão previstas para 2006. O novo avião será usado como jato-bombardeiro ou em vôos de esclarecimento.

Com 16 metros de comprimentos, o Eurofighter Typhoon é muito ágil, podendo aterrissar e decolar em pistas de apenas 700 metros. Está equipado com duas turbinas EJ.200 ultramodernas, combinando baixo peso com grande potência, podendo atingir o dobro da velocidade do som.

Ele tem uma autonomia de 2500 quilômetros e está equipado com mísseis de curto e médio alcance (ar-ar, ar-terra, bombas controladas por laser) e um radar com capacidade de detectar 20 alvos ao mesmo tempo. O jato tem lugar para duas pessoas, mas pode ser pilotado só por uma, auxiliada por um sistema que projeta informações numa placa de vidro na frente do cockpit.

Leia mais

Links externos